Papa Francisco condena guerras e outras "obras de morte" da humanidade

Patrice Gainsbourg
Janeiro 1, 2018

Esta segunda-feira, primeiro dia de 2018, o Papa Francisco vai presidir à Missa da solenidade de santa Maria, Mãe de Deus, por ocasião do Dia Mundial da Paz.

"Por essa paz, a qual todos têm o direito, muitos deles estão dispostos a arriscar suas vidas em uma jornada que é muitas vezes longa e perigosa, eles estão dispostos a enfrentar a tensão e o sofrimento".

RTP não transmite o jogo Paços de Ferreira-FC Porto
No segundo tempo, Sérgio Conceição faz entrar Aboubakar e é o goleador que faz o 3-2 final aos 49 minutos. E seria o avançado camaronês a decidir o jogo na segunda parte ao marcar o 3-2 final.

Depois de concluída a celebração, o Papa Francisco seguiu a pé para a Praça de São Pedro, onde estavam centenas de peregrinos que acompanhavam a oração; cumprimentou as pessoas, deixou-lhes votos de um bom ano de 2017 e rezou junto do presépio que ali está instalado. Ele pediu maior atenção as instituições civis, educativas, assistenciais e eclesiásticas.

Francisco, que descreveu os migrantes e refugiados como os "mais fracos e necessitados", tem devotado o seu papado à defesa das milhões de pessoas que foram forçadas a abandonar suas casas por causa da violência. "Gostaria de erguer minha voz mais uma vez por aqueles irmãos e irmãs que buscam um horizonte de paz no seu futuro", disse o Pontífice da janela da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Durante viagem para Myanmar e Bangladesh, no fim do ano passado, ele se encontrou com refugiados muçulmanos e pediu medidas para a resolução dos problemas políticos que estão provocando a violência sectária na fronteira entre os dois países.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL