Trump renega ex-mentor Steve Bannon após acusação de traição

Patrice Gainsbourg
Janeiro 5, 2018

"Steve Bannon nada tem a ver comigo ou com a minha presidência". Desde que foi colocado em pré-venda, quase 49 mil exemplares do livro foram encomendados só na Amazon, colocando-o em primeiro lugar na lista de mais vendidos do site.

O presidente norte-americano disse que Bannon teve pouco a ver com sua vitória na eleição presidencial de 2016, mas foi culpado pela perda em dezembro de um assento do Alabama no Senado dos EUA que pertencia a um republicano, quando o republicano Roy Moore, que foi acusado de molestar crianças e era apoiado por Trump e Bannon, perdeu a eleição para o democrata Doug Jones.

Bannon é citado num novo livro, a que o jornal Guardian teve acesso, com revelações que classifica como explosivas.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou nesta quarta-feira o ex-conselheiro da Casa Branca Steve Bannon, afirmando que ele "perdeu a cabeça" por conta de comentários que Bannon fez sobre o filho de Trump, Donald Trump Jr. em trechos de um novo livro.

"Os três membros seniores da campanha pensaram que era uma boa ideia encontrar-se com um governo estrangeiro dentro da Trump Tower, na sala de conferências no 25.º andar, sem advogados".

Os advogados do presidente exigiram que o livro não fosse publicado e que o autor escrevesse uma retratação e um pedido de desculpas.

Produção de veículos cresce 25,2 % em 2017, anuncia Anfavea
Especificamente para os segmentos de automóveis e comerciais leves, a expectativa é de alta de 11,9% sobre os resultados de 2017. O maior segmento é o de automóveis, que inclui carros de passeio e SUVs, com 1,85 milhão de unidades e alta de 9,9%.

Manafort apenas orientou a campanha de Trump durante três meses, mas é bom lembrar que lhe coube a ele a escolha do companheiro do milionário republicano no caminho para a Casa Branca: foi ele quem sugeriu Mike Pence para o bilhete republicano.

Em comunicado na quarta-feira, Trump não poupou críticas a Bannon, questionando sua saúde mental, honestidade e influência política.

"Steve finge estar em guerra com a mídia, que ele chama de partido de oposição, ainda assim ele passou seu tempo na Casa Branca vazando informações falsas para que parecesse muito mais importante do que era". "É o único que faz bem".

Em particular, afirma que o filho mais velho de Trump, Donald Trump Jr, cometeu "traição" por seus contatos com pessoas próximas à Rússia durante a campanha e seus negócios obscuros, denúncias que levaram a uma explosão de raiva do presidente.

Bannon afirma, por exemplo, que uma reunião mantida por Trump Jr, Kushner e Manafort com uma advogada russa em junho de 2016, em plena campanha eleitoral, foi uma "traição". Uma possibilidade contemplada por Mueller, defende Bannon e que passa por investigar Paul Manafort, Trump Junior e Kushner. É tão claro quanto um cabelo no rosto.

Reforçando este cenário, soube-se no mês passado que os investigadores federais pediram registros do Deutsche Bank, que emprestou centenas de milhões de dólares ao império imobiliário de Kushner. "Toda essa merda de Kushner é suja", declarou.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL