Ministro da Saúde diz que irá deixar o cargo por eleições

Oceane Deschanel
Janeiro 6, 2018

O anúncio da saída de Barros marca a quarta baixa na Esplanada dos Ministérios do governo de Michel Temer em um período de um mês.

Mas para ele, deputado licenciado, sua própria reeleição não é prioridade.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou nesta quinta-feira (5) que até abril deixará a pasta para tentar a reeleição para o cargo no Congresso Nacional.

Bolsa Família: 3.605 cadastros no DF estão sob suspeita de fraude
O ministério do Desenvolvimento Social falou que recebeu agora as informações da CGU e que vai analisar com a checagem que já estava sendo feita.

Nos últimos dias, dois ministros deixaram o governo com o objetivo de disputar as eleições: Ronaldo Nogueira (PTB-RS), do Trabalho; e Marcos Pereira (PRB), da Indústria e Comércio Exterior. O gestor pretende concorrer a cargo de deputado federal. A declaração foi feita durante uma entrevista coletiva no ministério sobre a execução orçamentária da pasta em 2017. O ministro também disse que na próxima semana deve ser anunciada uma nova política de combate e prevenção da febre amarela no País. Teve 12 casos suspeitos, nenhum foi confirmado, o que provoca excesso de zelo. Não está pactuada totalmente a ação do ministro, do Estado e de municípios.

No final do ano passado, Ricardo Barros participou de sucessivas reuniões com deputados estaduais da base do governador Beto Richa, visando ganhar apoios à candidatura de sua esposa e já discutir alianças partidárias para o pleito eleitoral. O que ele quer mesmo é fazer governadora do Paraná sua esposa e atual vice, Cida Borghetti. Antonio Imbassahy deixou a Secretaria de Governo em dezembro. Ele foi substituído pela deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ).

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL