Criticada, H&M se desculpa e retira publicidade racista do ar

Rebecca Barbier
Janeiro 9, 2018

A imagem mostrava uma criança negra vestida com uma sweatshirt com capuz com o slogan "Coolest monkey in the jungle" (o macaco mais cool da selva).

"Quem teve a ideia na H&M de pôr este doce menino negro com um moletom que diz 'O macaco mais legal da selva'?", indignou-se a modelo Stephanie Yeboah no domingo no Twitter. Muitos usuários concordaram com a acusação, mas alguns enxergaram a crítica como um exagero.

O ator norte-americano Jaleel White, da série "Family matters", fez um post revoltado em seu Facebook, nesta segunda-feira (7).

Barcelona contrata Philippe Coutinho para a vaga de Neymar
De acordo com o clube catalão, os exames detectaram lesão muscular e o atleta precisará de três semanas para se recuperar. O Messi é um grande jogador e estou contente diante da chance de jogar ao seu lado.

A polémica estalou de imediato nas redes sociais, com vários utilizadores a considerarem a peça de roupa "racista", e foi de tal forma audível que a sueca Hennes & Mauritz foi obrigada a redigir um pedido de desculpas aos consumidores.

Apesar de a imagem já ter sido removida de todos os canais da H&M, o cantor canadiano, que começou a participar em campanhas publicitárias em 2017, escreveu na rede social: "Acordei esta manhã chocado e envergonhado com esta fotografia".

Segundo o site da "Glamour Brasil", a H&M divulgou uma nota, dizendo que retirou a campanha do ar: "Nós sinceramente pedimos desculpas por esta imagem". Certamente vão emendar a situação nos media e ter um grande gesto como fazer uma doação para uma instituição de beneficência.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL