Governo Federal descumpre meta da inflação com IPCA de 2,95%

Patrice Gainsbourg
Janeiro 10, 2018

A inflação oficial do Brasil de 2017 atingiu 2,95%, conforme os dados divulgados hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A alta dos preços no país também ficou abaixo da meta estabelecida pelo Governo para o período, que era de 4,5% com margem de 1,5 pontos percentuais para cima ou para baixo.

Já entre as sete regiões com resultados abaixo dos 2,95% da média nacional se destacam Belém, que, com a alta de 1,14%, teve o menor IPCA do país; Belo Horizonte (2,03%) e Campo Grande (2,11%). Além do reajuste nos tributos (Programa de Integração Social/ Contribuição para Financiamento da Seguridade Socia - PIS/Cofins), foram concedidos 115 reajustes nos preços, com um aumento acumulado de 25,49% somente entre 3 julho a 28 de dezembro do ano passado. Com o resultado, o presidente do BC, Ilan Goldfajn, deverá enviar uma carta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicando por que a inflação não ficou dentro do estipulado.

O resultado decorreu da redução de 4,85% no preço dos alimentos consumidos em casa, com destaque para as frutas (-16,52%), que tiveram o maior impacto negativo (-0,19 ponto percentual).

Segundo o gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor, Fernando Gonçalves, a queda do preço dos alimentos foi consequência da produção agrícola, que teve uma safra cerca de 30% superior a 2016.

Para críticos da atuação do Banco Central, a inflação abaixo do piso sinaliza que a autoridade monetária deveria ter reduzido a taxa básica de juros (Selic) mais rapidamente, o que poderia estimular uma retomada mais forte da atividade econômica.

Governo não vai renovar mandato da Procuradora-Geral da República
O governo não vai renovar o mandato de Joana Marques Vidal à frente da Procuradoria-Geral da República (PGR). Nos termos da Constituição, o mandato do Procurador-Geral da República tem a duração de seis anos.

Entretanto, o mês de dezembro resultou na maior variação da inflação no ano passado, registrando 0,44 percentuais. Em novembro, o índice chegou a 0,28%. Em dezembro, um relatório da instituição estimou que a inflação de 2017 seria de 2,8% e à dos economistas consultados pelo boletim Focus. A alimentação consumida em casa passou de -0,72% para 0,42%.

Os principais impactos individuais no índice do mês partiram das passagens aéreas (22,28%) e da gasolina (2,26%). Em dezembro, a taxa foi de 0,26%, acima da taxa de novembro, de 0,18%.

Os dois itens lideraram o ranking de maiores pressões sobre o IPCA de dezembro.

OIBGE também divulgou nesta quarta o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que serve de baliza para boa parte das negociações salariais e para o próprio salário mínimo.

O INPC é usado como índice de reajuste desde 2003.

Questionado pelo G1 sobre o índice de reajuste dos benefícios previdenciários de quem recebe acima do mínimo, o Ministério da Previdência informou que "por lei, o reajuste dos benefícios acima do salário mínimo é pelo INPC" e que a portaria definindo o reajuste será publicada "após a oficialização do índice pelo IBGE".

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL