Coreia do Norte vai participar nos Jogos Olímpicos de Inverno

Patrice Gainsbourg
Janeiro 11, 2018

O presidente Trump disse ao líder da Coreia do Sul que os Estados Unidos estavam abertos a conversações com a Coreia do Norte "no momento apropriado e nas circunstâncias certas", afirmou a Casa Branca.

Numa declaração conjunta após 11 horas de conversas, a Coreia do Norte prometeu enviar uma grande delegação aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang no próximo mês, mas fez uma "forte queixa" depois que Seul propôs conversas para desnuclearizar a Península Coreana.

Seul e Washington aceitaram previamente adiar até depois dos Jogos seus exercícios militares anuais conjuntos, que Pyongyang considera como o teste de uma invasão.

As conversações estão a ser seguidas de perto pelo mundo, devido aos constantes desafios, por parte da Coreia do Norte, das resoluções das Nações Unidas com os sucessivos testes nucleares.

A participação dos norte-coreanos nos Jogos, que acontecem de 9 a 25 de fevereiro, depende ainda da avaliação do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Sérgio Conceição diz que não queria ofender Rui Vitória
O exemplo que dei foi menos feliz. "Lembro-me de nessa altura dizerem que estavam ali para falar do jogo, não de arbitragens", disse Sérgio Conceição.

Uma das questões é sobre a apresentação dos atletas nas cerimônias de abertura e encerramento: se aparecerão unidos, como nas Olimpíadas de Sidney-2000 e Atenas-2004, e nos Jogos de Inverno de Turim-2006. “O Norte disse que enviará uma delegação de alto nível, incluindo representantes do comitê olímpico, atletas, uma equipe de animadores, um grupo de performance artística, torcedores, praticantes de taekwondo e imprensa”, declarou Chun Hae-sung, vice-ministro de Unificação, ao “Washington Post”.

A Guerra da Coreia (1950-1953) terminou com um armistício e não com um tratado de paz formal, e, por isso, as duas Coreias continuam tecnicamente em guerra.

A imprensa sul-coreana também avançou que a Coreia do Norte restabeleceu uma linha telefónica militar de emergência com o Sul, o que representa o segundo canal de comunicação reaberto entre as duas coreias no espaço de uma semana.

Já os norte-coreanos manifestaram o desejo de resolver problemas com os vizinhos por meio de "conversas e negociações", o que significa uma mudança radical em relação à postura do ditador norte-coreano, Kim Jong-un nos últimos dois anos.

Além disso, os dois países concordaram em conversar sobre a redução de tensões ao longo da Península Coreana. A Coreia do Sul sugeriu encontros durante os feriados do Ano Novo Lunar, no próximo mês.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL