Montenegro vota Santana. E acha apoio ao PS "suicidário"

Patrice Gainsbourg
Janeiro 12, 2018

Referiu, também, que não se candidata à liderança do PSD para se resignar, mas para melhorar a vida dos portugueses, num País onde o desequilíbrio territorial é um problema. "O PSD já sabe que o PS de António Costa, Ferro Rodrigues, Carlos Cesar, Pedro Nuno Santos, Pedro Delgado Alves ou João Galamba não viabiliza governos do PSD, mesmo quando ganhamos as eleições. Prefiro que ele esteja amarrado à Assembleia como um todo do que apenas à esquerda", afirmou.

Já para Santana Lopes, "foi rompida a prática constitucional" de que quem ganha as eleições governa. "O que estás a dizer é para votarem útil no PS", alertou Rui Rio.

Estas declarações surgiam na sequência de uma entrevista do ex-primeiro-ministro José Sócrates ao Expresso, que motivou que Santana Lopes defendesse que os políticos devem ter a capacidade para se olharem ao espelho e perceberem a realidade.

Mais uma vez, Santana e Rio estiveram em campos opostos quando se falou da polémica em torno da recondução da atual procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, pelo Governo, depois de a ministra da Justiça ter dito entender que seria um mandato único.

"Como o Presidente da República disse, este devia ser um não assunto neste momento, é falta de sentido de Estado estar a pôr a questão em cima da mesa quando faltam dez meses para terminar o mandato", afirmou Santana Lopes, mas que admitiu defender a recondução. "Politicamente, se hoje tivesse de tomar uma decisão, como líder da oposição, diria que é adequada a renovação do mandato da PGR", afirmou, acusando ainda o seu adversário de ter colocado este tema na agenda ao fazer, no debate da RTP, um balanço negativo do trabalho do Ministério Público.

Acidente na Imigrantes mata 2 mulheres e deixa 6 feridos
Micheletti estava dirigindo uma Mercedes-Benz junto com sua esposa Thais Helena Orsolini Micheletti e Osmar Soares do Nascimento. A Polícia constatou, ainda, que André Gonçalves, condutor do Ecosport, também estava com a CNH cassada por excesso de multas.

"O partido há-de pensar nisso, eu não devo alimentar isto dizendo que sim ou não, senão estou a colaborar uma coisa que acho que é má para a actual procuradora", afirmou, escusando-se a responder se defende ou não a recondução de Joana Marques Vidal.

Para o ex-líder social-democrata, Rui Rio "fez uma avaliação negativa do Ministério Público no debate televisivo [na RTP] e mudou de posição no segundo".

Mais de 70 mil militantes do PSD vão poder escolher no sábado o próximo presidente social-democrata e sucessor de Pedro Passos Coelho nas eleições diretas disputadas entre Pedro Santana Lopes e Rui Rio.

"O que se passou aqui na corte que estão a debater uma coisa que eu nem conhecia?".

Por seu lado, Rio sublinhou que tem uma visão crítica sobre "o funcionamento da Justiça" em Portugal, mas recusou dizer se defende ou não a continuidade de Marques Vidal como Procuradora-Geral da República.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL