YouTube se posiciona sobre vídeo em que Logan Paul divulga suicídio

Eloi Lecerf
Janeiro 12, 2018

A plataforma decidiu também retirá-lo do portefólio "Google Preferred", que oferece aos anunciantes acesso a 5% dos conteúdos mais vistos do YouTube.

Logan, obviamente, foi muito criticado por sua atitude e chegou até a postar um pedido de desculpa, que não foi muito aceito pela galera. No entanto, o conteúdo já havia acumulado mais de 6 milhões de visualizações. Esse caráter contrasta com a produção publicada em 31 de dezembro de 2017, na qual ele visita Aokigahara, conhecida como a "floresta do suicídio", no Japão, e acaba encontrando o cadáver de um homem que havia tirado a própria vida.

O pai de Logan Paul, Greg Paul, emitiu uma declaração via Instagram na terça-feira explicando que Logan retornará brevemente a fazer os vlogs. A presença de propagandas de sua marca de roupas, a Maverick, levou a ainda mais críticas, apesar de o vídeo em si não ter sido monetizado, bem como o caráter jocoso que antecede o encontro com o cadáver.

Grêmio anuncia contratação de Madson, ex-Vasco, até final de 2021
Eu não anuncio contratação - afirmou o empresário em contato com a reportagem. Já Henrique Almeida deve pegar o caminho contrário ao de Madson .

"Esperamos mais dos criadores que constroem a sua comunidade no YouTube, tal como vocês". O vídeo foi gravado como parte de uma série baseada em uma viagem ao Japão, realizada no final do ano passado. Ele ainda teve os novos projetos originais com o YouTube congelados.

Mas, até agora, o YouTube não havia se pronunciado de forma clara sobre o assunto. Internautas dizem que a plataforma demorou a remover o vídeo do canal de Logan que conta com 15 milhões de inscritos, entre crianças e jovens. "O canal [de Logan Paul] violou as nossas regras de comunidade, agimos em conformidade, e estamos a estudar a possibilidade de existirem ainda mais consequências", conclui.

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL