Cármen Lúcia vai ter encontro para discutir julgamento de Lula

Oceane Deschanel
Janeiro 13, 2018

Será um verdadeiro pré-carnaval. O presidente afirmou que o pedido será atendido.

A manifestação favorável ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi convocada pelo PT de Maringá para as 9h30 no plenário da Câmara Municipal.

No dia do julgamento, 24 de janeiro, a Justiça Federal não deverá funcionar, e o TRF-4 funcionará só para julgar o recurso do petista.

As atividades têm previsão de voltarem à normalidade no próximo dia 25 de janeiro. "Os manifestantes deram boas-vindas aos servidores, aos funcionários terceirizados e aos magistrados que estão retornando hoje ao trabalho, após o período de recesso do Judiciário", segundo nota postada na página Com Lula em POA, em rede social. O objetivo da decisão é o de acelerar o processo contra Lula.

"Se alguém entender que existe algum impedimento legal para essa inscrição, essa pessoa terá que entrar com pedido de impugnação".

Espírito Santo, Bahia, Pernambuco e Minas puxam alta da produção da indústria
Também aumentaram as produções do Rio Grande do Sul (1,4%), Pará (1,1%), São Paulo (0,7%) e Região Nordeste (0,2%). Segundo o IBGE, dos 24 ramos monitorados, 11 reduziram a produção em novembro, na comparação com outubro.

De acordo com um jurista ouvido pela Reuters, que preferiu não se identificar, a decisão sobre inelegibilidade é um retrato do dia 15 de agosto.

A suspensão leva em conta as medidas que estão sendo adotadas pelos órgãos de segurança pública do Estado do Rio Grande do Sul e pela Polícia Federal para garantir a segurança do público interno e externo durante a realização do julgamento da Apelação Criminal nº 5046512-94.2016.4.04.7000 no dia 24 de janeiro, às 8h30, pela 8ª Turma.

O TRF-4 é responsável pelo julgamento de Lula na segunda instância. O valor, segundo a acusação, refere-se à suposta cessão pela OAS do apartamento tríplex no Guarujá (SP) ao ex-presidente, às reformas feitas pela construtora no imóvel e ao transporte e armazenamento de seu acervo presidencial. As imputações são de corrupções ativa e passiva e de lavagem de dinheiro. No dia, o tribunal vai analisar se mantém a condenação determinada em 1ª instância pelo juiz federal Sérgio Moro. Caso confirmada a condenação no próximo dia 24, o ex-presidente Lula não será preso imediatamente.

Na segunda instância, o Ministério Público Federal (MPF) pediu o aumento da pena do ex-presidente. Se o resultado for dois a um, poderão apelar por meio dos chamados embargos infringentes. Por meio deste recurso o réu pode pedir a prevalência do voto mais favorável. No Twitter ela postou "Perseguição e ativismo político contra Lula dentro do TRF-4!", escreveu.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL