Falha no WhatsApp pode permitir que estranhos leiam mensagens de grupos

Eloi Lecerf
Janeiro 13, 2018

O pessoal da Ruhr University Bochum, na Alemanha, foi quem descobriu a falha, publicando tudo em um periódico especializado.

Uma falha de segurança no WhatsApp foi descoberta recentemente, e o preocupante é que a brecha permite que pessoas que tenham acesso aos servidores do mensageiro possam, na surdina, acessar chats em grupo, podendo, até mesmo, adicionar novos membros.

R$ 130 bilhões no caixa do Tesouro
Já no apoio do banco para os financiamentos para compra de caminhões e ônibus, a fatia do BNDES avançou de 40 para 60 por cento. A redução do fluxo de pagamentos para a União entre julho de 2016 e junho de 2018 é estimada em R $ 44,743 bilhões.

Como explica o 'TechTudo', desde que o mensageiros implantou a criptografia, em 2016, a empresa garantiu que nem ela mesma conseguiria ter acesso às mensagens. Supostamente, apenas o administrador do um grupo pode adicionar, ou pelo menos aceitar, membros, no entanto, os servidores do WhatsApp funcionam como administradores de toda a aplicação. Embora, na conversa, fosse notificada a entrada de um novo membro - mesmo sem autorização do administrador -, este teria o controle de apagar e mudar a ordem das mensagens, conseguindo disfarçar.

Para que o novo integrante entre no grupo da forma mais discreta possível, o hacker poderia ainda atrasar o alerta de novo integrante no grupo que é visualizado por todos os participantes. No Brasil, por exemplo, o app já chegou a ser bloqueado por não colaborar com a Justiça. Neste momento, a empresa melhorou a segurança, tornando mais difícil identificar as mensagens mesmo que um invasor consiga decifrar a chave criptográfica, mas a falha que permite adicionar pessoas em grupos não vai ser corrigida.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL