Juiz bloqueia revogação de Trump do plano DACA para imigrantes

Patrice Gainsbourg
Janeiro 13, 2018

A porta-voz comentava assim a decisão do juiz William Alsup, da Corte do distrito norte da Califórnia, que ontem considerou "arbitrária e caprichosa" a decisão de setembro do ano passado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de acabar com o DACA e dar ao Congresso um prazo até 5 de março para solucionar a situação dos jovens sem documentos que o programa beneficia.

O projeto apresentado oferece aos "Dreamers", como são conhecidos os jovens protegidos pelo DACA, a possibilidade de residir legalmente no país, mas não abra caminho para uma possível cidadania.

Com a proposta, os níveis de imigração para os EUA seriam reduzidos em 25% no total, de acordo com resumo divulgado à imprensa.

Vídeo: motociclista em alta velocidade e na contramão atinge carro
Um motociclista em alta velocidade e na contramão morreu após colidir contra um Fiat Pálio que transportava três pessoas. José Dimas Ribeiro dos Santos não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Os patrocinadores deste projeto são os deputados Bob Goodlatte e Raúl Labrador. Além disso, o projeto oferece a oportunidade de renovar a autorização indefinidamente. Já o muro com o México, a grande promessa dos republicanos, terá um orçamento de US$ 18 bilhões. O presidente disse também que "aguarda com expectativa o avanço da legislação que assegura a fronteira, acaba com a migração de cadeia, cancela a loteria de vistos e aborda o status da população Daca de forma responsável".

Mas Trump vinculou qualquer ação nesse sentido à aprovação de suas prioridades no tema, que incluem a construção de um muro na fronteira com o México, a contratação de mais agentes de fronteiras e mudanças no sistema legal da imigração.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL