Merkel e Schulz prometem "esforços" para formar governo na Alemanha

Patrice Gainsbourg
Janeiro 13, 2018

Depois disso, as partes envolvidas terão de fechar um acordo de coalizão definitivo, que será submetido à aprovação dos integrantes do SPD.

"Não há linhas vermelhas", disse o líder do SPD, Martin Schulz, acrescentando que espera que as políticas sejam "tão vermelhas quanto possível".

A chanceler alemã, Angela Merkel, e os social-democratas do SPD, partido de Martin SchulZ, alcançaram, esta sexta-feira, um "acordo de princípio" com vista à formação do novo governo alemão.

As esperanças, então, voltaram para o SPD, mas os membros do partido de centro-esquerda resistem a uma nova aliança.

Uma ligeira maioria de inquiridos (53%) numa sondagem de domingo acredita que o próximo governo vai mesmo ser de "grande coligação", que não é uma fórmula muito querida. "Ao mesmo tempo, parece-me óbvio que vamos ter imenso trabalho pela frente durante os próximos dias, mas estamos dispostos a encará-lo e a conseguir um bom resultado", afiançou Merkel, citada pelo "Guardian".

Zidane minimiza maus resultados do Real Madrid e pede apoio à torcida
Apesar de nomes como Harry Kane, Eden Hazard ou Timo Werner agradarem, nenhum entusiasma tanto quanto o de Neymar . Será que rolaria uma troca de craques? É muito bonito falar negativamente do Real Madrid .

Ainda assim, avança o Público, a economia não deixa de dar notícias positivas, tendo a Alemanha registado, na semana passada, um recorde de baixo desemprego.

O problema é que Merkel não conseguiu chegar a um acordo com o verdes e liberais, e os sociais-democratas foram chamados à mesa de negociações mas ainda não aceitaram continuar governando com Merkel.

Merkel tem o partido mais do seu lado, mas há um movimento crescente que quer uma reaproximação das raízes de direita da CDU.

De qualquer forma, sem o acordo preliminar de hoje, as únicas opções de Merkel seriam formar um governo minoritário ou convocar novas eleições. Horst Seehofer, da CSU, apontou a Páscoa, que este ano se comemora a 1 de Abril, como o ultimo prazo para o país ter um Executivo.

Em relação às conversas exploratórias, os partidos concordaram em não dar informações aos media até ao final das mesmas, previsto para quinta-feira. "Vai ser um dia difícil", advertiu à chegada para a reunião, que só deve terminar à noite.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL