"Pontos são importantes para o que aí vem" — Rui Vitória

Vincent De Villiers
Janeiro 14, 2018

Questionado sobre um período da segunda parte em que o Braga teve ascendente sobre o Benfica, Rui Vitória disse que isso se deveu "fundamentalmente ao muito mérito" da equipa orientada por Abel Ferreira, que "reagiu muito bem quando se encontrava em desvantagem (0-1 ao intervalo, e o-2 a partir de dado momento do jogo)". No primeiro caso, Rui Vitória disse que Jesus não entrava no topo da sua lista de prioridades; no segundo caso, são citadas declarações de Vitória, antes de um dérbi, onde o treinador das "águias" diz que ia "jogar uma equipa, que somos nós, contra onze jogadores". O treinador do FC Porto disse o que disse, que assuma as suas responsabilidades.

Rui Vitória fez questão de afirmar (e de reiterar) que esta não é uma resposta a alguém, mas sim o seu ponto de vista sobre determinado assunto.

"E o burro sou eu", disparou Nuno Saraiva, recorrendo a uma frase tornada célebre pelo então seleccionador nacional, Luiz Felipe Scolari, durante o Euro 2004.

"Sabemos o que queremos, estamos cá na luta", disse Vitória. "Não sou um boneco comandado, como outros, que me fazem lembrar um boneco que o meu filho tem lá em casa e que tem um botão para o modo agressivo e outro para o modo padre".

Novos horários avançam na Autoeuropa apesar da falta de consenso
Face à "intransigência" da administração em negociar, os trabalhadores admitem realizar a segunda greve na história da Autoeuropa.

Perante a insistência dos jornalistas, Rui Vitória, visivelmente exaltado e aborrecido com o tema, quis deixar claro que não faltou ao respeito a ninguém e que não ultrapassa os limites. Eu faltei ao respeito a alguém? Nem aceito que o digam de forma leviana sobre mim, porque não ultrapasso os limites. Da minha parte houve e haverá sempre respeito entre os treinadores. Na minha cara ninguém me diz que ultrapassei os limites como treinador.

"Se vier alguém que tenha que ser alguém que acrescente qualidade". A conversa termina aqui. Foi assim eu ganhei e é assim que vou ganhar mais vezes.

"Sou um treinador de equipa grande, mas sou uma pessoa normal, que fez um percurso desde as segundas divisões até cá acima subindo a pulso, agarrando as oportunidades, deixando amigos em todos os clubes, atingindo os objetivos em quase todos os clubes". Não pedi a ninguém para estar em nenhum clube.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL