Congresso não é responsável pelo rebaixamento da nota do Brasil, diz Maia

Patrice Gainsbourg
Janeiro 15, 2018

Os inimigos de Meirelles dizem que é melhor ele se contentar em continuar ministro até o fim de 2018 e levar o mérito de ter tirado o país de uma das mais graves recessões da história. Entre a aventura e o risco tem um caminho muito longo para você ser candidato a presidente.

O parlamentar participou de café da manhã com líderes do PR e depois partiu para um almoço com o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), em Florianópolis.

O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que não é candidato à presidência da República. Outra vantagem é o bom trânsito no Congresso, tendo feito uma presidência considerada de sucesso na Câmara. Ao jornal O Estado de S. Paulo, o presidente Michel Temer disse acreditar que o político fluminense vai disputar a reeleição da Câmara e não o Planalto. "Após uma caminhada entre os palácios do Jaburu e Alvorada, me reúno com alguns dos meus ministros para avaliar o cenário econômico, as medidas para reduzir a inflação, a geração de empregos, além da necessidade da reforma da Previdência".

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que não parou para pensar se será candidato à Presidência.

A reforma da Previdência é considerada pelo grupo de Maia como um dos marcos para o eventual lançamento oficial da candidatura dele.

Confira todos os jogos Dragon Ball de 1986 a 2018
Nós vamos continuar com beta aberta online, mas você pode experienciar problemas durante a jogatina. We'll keep the Open Beta online but you might experience problems during gameplay.

Meirelles transferiu ao Congresso o ônus pelo atraso na aprovação de medidas do ajuste, como a reforma da Previdência.

Em dezembro, ao constatar que ainda não tinha os 308 votos necessários para aprovação da proposta, o governo decidiu adiar para fevereiro a votação e o presidente da Câmara definiu cronograma que começa com a discussão da proposta em Plenário, a partir de 5 de fevereiro, e votação em primeiro turno em 19 de fevereiro.

Há um movimento deliberado, com foco no Palácio do Planalto, para tentar inviabilizar a candidatura de Meirelles. A articulação envolve conversas com partidos e uma agenda de viagens dentro e fora do País para se tornar mais conhecido. A ideia é que ele apresente a posição deles e aborde assuntos que a sociedade quer ouvir, como na área da segurança pública, tema caro a seu Estado, o Rio.

Rodrigo Maia chegou a conversar com Temer para reclamar das declarações de governistas responsabilizando o Legislativo. Para hoje, está prevista uma reunião no início da tarde com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, o português António Guterres. Na quarta-feira, Eles seguirão para Cancún (México) onde participarão da Conferência Latino-americana do banco Santander., Maia descartou que esta viagem tenha cunho eleitoral e disse que estava marcada há meses.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL