Faz rutura na garganta ao conter um espirro

Oceane Deschanel
Janeiro 17, 2018

Um homem de 34 anos quase ficou sem falar e com dificuldades para engolir por segurar um espiro. O caso foi descrito num artigo publicado no periódico científico British Medical Journal Case Reports, na última segunda-feira (15).

O estudo científico explica que quando as pessoas espirram, o ar consegue chegar facilmente aos 240 km/h e, portanto, quando tentamos travar esse ato "podemos provocar sérios estragos" no organismo, garante o médico Anthony Aymat, director do serviço de otorrinolaringologia da London's University Hospital Lewisham, citado pela Associated Press.

O caso foi surpreendente, dizem médicos que atenderam o homem, porque a ruptura da parte de trás da garganta só é vista em traumas e acidentes. O homem foi internado com dores intensas e enfisema (vazamento de ar para outros tecidos). No hospital, ele foi alimentado por tubos e recebeu antibióticos até ser liberado depois de sete dias.

E, se você ainda não se convenceu de que segurar espirro é uma má ideia, a Revista Galileu provou, em uma matéria que romper a faringe não é a única consequência devastadora desse tipo de hábito. O paciente percebeu os sintomas após impedir um espirro apertando o nariz e fechando a boca.

Após bater recorde, O Outro Lado do Paraíso despenca na audiência
Ela conhece Gael (Sergio Guizé), um herdeiro de uma família decadente de Palmas, e acaba se apaixonando por ele. Os capítulos desta segunda-feira (15/1) prometem emocionar os espectadores de O Outro Lado do Paraíso .

Qual a moral da história?

Os médicos afirmam que a situação é rara mas confirmam que pode acontecer.

Então, caro leitor, diante de tudo isso, o que dá para concluir é simples: deu vontade de espirrar, então espirre!

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL