Morre o chef Paul Bocuse, considerado o chef do século

Rebecca Barbier
Janeiro 20, 2018

Eleito "cozinheiro do século", conhecido como o homem que revolucionou a cozinha francesa e criador de império gastronómico único, Bocuse sofria de doença de Parkinson há vários anos e morreu no seu restaurante, em Collonges-au-Mont-d'Or, cidade perto de Lyon onde nasceu. Na década de 1970, ajudou a fundar a "nouvelle cuisine", que prioriza a leveza dos pratos e o frescor dos ingredientes, com ênfase na apresentação. A informação foi divulgada pelo ministro francês do Interior e ex-prefeito de Lyon, Gérard Collomb, no Twitter.

O La Liste, ranking dos rankings da gastronomia mundial, homenageou Bocuse.

"Os chefs choram nas suas cozinhas, no Eliseu e em toda a França, mas vão continuar com o seu trabalho", afirmou o chefe de Estado francês. A gastronomia está de luto. Senhor Paul era a França.

Apple planeja repatriar US$ 252 bilhões. Ponto para Trump
A localização do novo escritório ainda não foi definida, mas segundo a empresa, será revelada até o final de 2018. Isso faria o governo ficar com quase US$ 90 bilhões dos US$ 250 bilhões a serem movimentados.

Em comunicado, Emmanuel Macron elogiou "a generosidade, o respeito pelas tradições e a inventividade" de Paul Bocuse, assinalando que a gastronomia francesa perdeu "uma figura mítica que a transformou profundamente".

Sete anos depois, receberia três estrelas do Guia Michelin, consolidando o sucesso que permearia toda a sua trajetória na cozinha. "A vida é uma piada". Morreu, este sábado, dia 20 de janeiro, aos 91 anos.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL