SPD encerra impasse e aprova coalizão com Merkel

Rebecca Barbier
Janeiro 22, 2018

O SPD, os social-democratas alemães, aprovaram o início de negociações com a CDU, de Angela Merkel, para a formação de uma coligação governamental.

A Bloomberg sublinha que as atenções voltam-se agora para Merkel e para os parceiros da CDU, que vão reunir-se ainda este domingo, em Berlim, para avaliar o resultado da votação do partido de Martin Schulz e preparar as negociações com vista à formação de governo, que devem arrancar já na segunda-feira.

Macron e Trump destacados na imprensa francesa
Macron e Trump destacados na imprensa francesa

"É muito o que conseguimos", assegurou, em alusão tanto à grande coligação que governou a Alemanha na anterior legislatura, como o conteúdo do pré-acordo com os democratas-cristãos, do qual destacou as propostas incluídas pelo seu partido em matéria de saúde e trabalho. Apesar do bom resultado dos populistas da Alternativa para a Alemanha (AfD), a decisão do SPD não se levantava problemática, pois parecia que Merkel, ganhadora de um quarto mandato apesar da quebra eleitoral da sua CDU/CSU, estava em condições de formar uma aliança inédita, juntando os liberais do FDP, já seus aliados noutras ocasiões, com os Verdes, cuja única experiência de poder tinha sido com o SPD. Provavelmente Merkel pagará por isso, não sendo nada certo que ganhe um quinto mandato (Nem Helmut Kohl o conseguiu), e Schulz arrisca-se também a ser, se o partido não recuperar nas intenções de voto, sacrificado pelo SPD. A CDU defende que esta legislação deve ser endurecida.

O congresso federal do SPD, realizado em Bona, pronunciou-se a favor da política seguida pelo líder, Martin Schulz, que pretendia o sim ao pré-acordo para formar um executivo estável na Alemanha, apesar das gerações mais jovens do partido e outras correntes internas defenderem ir para a oposição. Um último projeto de coalizão com os social-democratas será submetido ao voto do SPD no domingo.

Barcelona niega rotundamente algún acuerdo por Griezmann
De esta manera, el cuadro azulgrana quiere acelerar la salida del defensa argentino , ya que reforzó la zaga con Yerry Mina . Philippe Coutinho vestirá el dorsal número '14' en el Barcelona que actualmente pertenece a Javier Mascherano.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL