Setor de serviços acumula queda de 2,8% em 2017, aponta IBGE

Judith Bessette
Fevereiro 17, 2018

Em 12 meses até novembro, o volume de Serviços acumulava queda de 3,40%, mas a receita já subia 1,90% na mesma base de comparação.Apesar da queda de 2,8% na taxa acumulada, o desempenho do setor ainda foi o melhor desde 2014, quando havia crescido 2,50%. "Serviços demoram mais para reagir a ciclos econômicos", afirmou.

Os serviços de transporte, auxiliares de transporte e correios foram os únicos com alta em 2017: 2,3%.

O único segmento a escapar do vermelho foi o de transportes, beneficiado pela recuperação da indústria, que gera demanda tanto para escoar a produção quanto para transporte de matéria-prima, apontou Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

O que se sabe até agora sobre a intervenção militar no Rio
Pezão disse que, apenas com Polícia Militar e Polícia Civil, o Estado não está conseguindo deter a guerra entre facções. O decreto será publicado na manhã desta sexta-feira (16), segundo o presidente do Senado, Eunício Oliveira.

O volume de serviços prestados no país cresceu 1,3% em dezembro, perante o mês anterior, mas fechou 2017 com queda, de 2,8%, o terceiro ano seguido de baixa, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os Serviços de informação e comunicação caíram 2,0%; Serviços profissionais, administrativos e complementares", -7,3%; e o segmento de Outros Serviços", -8,9%."A recuperação do setor de serviços geralmente é mais lenta, atua a reboque de outros setores. As eleições presidenciais tendem a demandar serviços de marketing e publicidade, além de movimentar o setor de edições. O resultado de dezembro ante novembro veio bem mais forte que a mediana das estimativas do mercado financeiro (+0,25%). Considerando apenas dezembro, houve crescimento de 1,8% no comparativo anual, e de 2% na comparação mensal.

Para efeito de comparação com o setor de telecomunicações, o indicador de volume de serviços do Brasil no acumulado do ano passado foi igualmente de 2,8%.

Em se tratando de receita nominal, o setor de serviços no Estado teve queda de 13,2% em dezembro, ante o mesmo mês de 2016. Em dezembro, houve aumento de 2,3% comparado ao mesmo mês de 2016, mas queda de 0,3% se comparado a novembro.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL