Roger Federer volta a ser o número 1 após seis anos

Vincent De Villiers
Fevereiro 18, 2018

Roger Federer, de 36 anos, colocou-se ontem a apenas duas vitórias de se tornar no nº 1 mundial mais velho da história, ao garantir a qualificação para a 2ª ronda do ATP 500 de Roterdão, na Holanda, de forma. verdadeiramente supersónica.

O feito ocorreu durante a tarde desta sexta-feira, quando Federer deu a volta ao jogo e eliminou Robin Haase para chegar às meias-finais do torneio de Roterdão.

- Significa muito pra mim voltar a ser número 1 em Roterdã, porque foi aqui que abriu as portas pra mim pela primeira vez, quando eu ainda estava no Juvenil. Federer, de 36 anos, ultrapassa Andre Agassi, que liderou o ranking ATP com 33 anos.

EUA acusam 13 cidadãos russos e três entidades de interferência eleitoral
Mas "não há provas nesta acusação de que nenhum americano foi um participante consciente desta atividade ilegal", disse Rosenstein.

Federer deixou a 1ª posição do ranking em novembro de 2012. Você vai jogando tênis e quando começa a jogar bem, passa a sonhar com o topo do ranking. Outro recorde é o intervalo entre a primeira vez que o suíço foi número 1, em fevereiro de 2004, e a última, que será no mesmo mês, em 2018, totalizando 14 anos.

Para seguir sonhando com este feito nesta semana, o suíço teve trabalho para derrotar o "freguês" Philipp Kohlschreiber, agora com 13 derrotas em 13 jogos no confronto direto. Será o vencedor entre Andreas Seppi, da Itália, e Dmitri Medvedev, da Rússia. Roger Federer continua elevando o patamar de nosso esporte.

No entanto, no segundo parcial, Federer elevou-se ao nível do seu estatuto e desbaratou o serviço do holandês, disparando para um 6-1. O suíço não entrou bem, não aproveitou os três break-points de que dispôs e, a 4-4, os 42% de primeiros serviços contribuíram para o break de Haase, que fechou a partida logo depois - a primeira vez este ano que Federer perdeu o set inicial.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL