Esporte: Clássico Ba-Vi tem briga generalizada, nove expulsos e final antecipado

Oceane Deschanel
Fevereiro 21, 2018

O futebol baiano vive um processo irreversível de profissionalização na gestão dos clubes e a briga generalizada, que marcou a partida válida pela sexta rodada do Campeonato Baiano 2018, é oposta a tudo o que o clube tem implementado desde dezembro de 2017. Jornais como o Olé, da Argentina, o The Mirror e o The Guardian, da Inglaterra, o AS, da Espanha, e o A Bola, de Portugal, repercutiram as cenas de selvageria promovidas pelos jogadores de Bahia e Vitória no segundo tempo do clássico.

Pelo lado do Vitória, Kanu, Denílson e Rhayner receberam o cartão vermelho. Entre agressões de ambos os lados, foram expulsos sete jogadores, sendo três do lado rubro-negro (Kanu, Denilson e Rhayner) e quatro do Bahia (Vinícius e Lucas Fonseca, que estavam em campo, e os reservas Rodrigo Becão e Edson). O Vitória saiu na frente com gol de Denílson na etapa inicial. A briga começou quando Vinicius, do Bahia, fez o gol do empate, no 2º tempo. A bola voltou a rolar após 15 minutos de paralisação.

Ao ver a comemoração de Vinicius, o goleiro Fernando Miguel correu em direção ao meio-campista dando inicio a confusão. Em seguida, os jogadores do Bahia ainda tentaram empatar o jogo, mas acabaram não conseguindo. A confusão começou na comemoração do meia, já tradicional, mas que incomodou os rubro-negros.

Depois de 10 dias de treinamento, o Bahia finalizou a sua preparação neste sábado (17) para o clássico contra o Vitória. O zagueiro Bruno Bispo também recebeu segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho.

Força-tarefa no Ceará vai focar no combate ao crime organizado
Quem conquistá-lo, conquista o Nordeste. "A situação do Ceará não sugere intervenção de qualquer natureza no futuro distante". Segundo Torquato, o envio do grupo de inteligência já estava programado.

O técnico Vágner Macnini negou que tenha orientado seus atletas a forçarem a última expulsão para encerrar a partida. Apesar de todas as especulações, o presidente do Vitória descartou qualquer ordem superior para que o atleta tomasse esta decisão.

O goleiro rubro-negro Fernando Miguel, o primeiro tomar satisfação com Vinicius, pediu desculpas ao torcedor que foi ao Barradão. O jogador do Bahia prestou queixa contra cinco atletas do Vitória. Se a punição for mais severa, vamos mostrar ao Brasil que o futebol baiano tem futuro. "Existe alguém responsável no campo pra tomar as medidas, quem se desequilibrou foram eles". "Provocaram as expulsões e deixaram o campo de jogo covardemente, honestamente, na minha opinião". As duas torcidas comemoraram o resultado de 1 a 1. Indignados, os jogadores do Vitória pressionaram o juiz por outra expulsão, que resultaria no fim do jogo. "Aonde vai o futebol baiano depois dessa?"

A confusão ocorrida no Ba-Vi do último domingo, no Barradão, virou notícia em várias partes do mundo.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL