Ministério Saúde atualiza situação de casos de febre amarela

Oceane Deschanel
Fevereiro 21, 2018

Além das 40 UBSs (Unidades Básicas de Saúde), a partir desta segunda (19), a vacinação ocorre também em escolas da rede pública e na Rodoviária Velha. Com a introdução da vacina em 1937 e com grandes campanhas de erradicação do vetor, conseguiu-se o controle e a eliminação da doença de ciclo urbano, sendo os últimos casos registrados no Acre em 1942. O estado vai avaliar a necessidade de prorrogação da campanha.

Diante do novo cenário epidemiológico no Brasil, o Ministério da Saúde resolveu ampliar as ações integradas de vigilância para reduzir a incidência da Febre Amarela no país. No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde está em alerta para evitar que a doença chegue à cidade.

Usualmente as gestantes não devem ser vacinadas para a febre amarela. Entre os 716 participantes, 98% tinham anticorpos após a vacinação. Alguns grupos como idosos, pessoas com comorbidades, pessoas que encerraram tratamentos com medicamentos imunossupressores, ou portadores de outras imunodeficiências devem ter uma precaução maior. "Todas as ocorrências foram importadas, de indivíduos que estiveram em áreas de risco", apontou a SES por meio de nota. O novo certificado não tem mais prazo de validade, considerando que a vacina deve ser feita apenas uma vez na vida e não a cada 10 anos como era recomendada anteriormente, desde que aplicada a dose inteira.

STF concede prisão domiciliar a presas grávidas e mães
Na última sexta-feira, ela teve sua prisão domiciliar concedida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Jéssica é ré primária e mãe de um menino de três anos.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) investiga o caso de um morador de Montes Claros, no Norte de Minas, que morreu depois de ser vacinado contra a febre amarela.

Dos 53 municípios classificados pelo Estado para participar da campanha, 37 estão na região. Em diversos locais onde a vacina já é recomendada, a população ainda hesita em tomar. Para quem realmente precisa, a vacina é considerada segura, pois os efeitos colaterais são raros. A única diferença entre as doses está no volume, que é menor na dose fracionada. Agora, o desafio é imunizar os outros 5 milhões que ainda não buscaram os postos de vacinação. Ele foi internado em um hospital da região, mas não se recuperou e foi transferido para uma unidade de saúde de Salvador. Em 2009, uma pesquisa avaliou 319 militares vacinados com a dose fracionada. A estimativa é que 20% da população esteja protegida por ter recebido a vacina em anos anteriores. Estudos em andamento continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período, informou a pasta.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL