Concessão de rodovias no Paraná é alvo de ação da PF

Patrice Gainsbourg
Fevereiro 22, 2018

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira a 48ª fase da Operação Lava-Jato - a primeira de 2018.

A 48º fase da Operação Lava Jato da Polícia Federal, apoiada pela Receita Federal e Ministério Público Federal mira corrupção em concessão de rodovias estatais no Paraná. Foram expedidos sete mandados de prisão temporária e outros 50 de busca e apreensão.

Em nota, divulgada pela PF, lê-se que agentes federais detectaram no meio das investigações da Lava Jato, uso de esquemas de lavagem de dinheiro para revertê-lo em recursos ilícitos pagos para agentes públicos.

O G1 tentou ligar para a Casa Civil, para a Secretaria de Comunicação do Governo do Paraná, para o DER/PR e para a Celepar por volta das 7h30, mas ninguém atendeu. Na época das buscas, o pedido do MPF ainda mencionou que outras empresas relacionadas ao Grupo Triunfo depositaram mais R$ 5 milhões em favor de Rodrigo Tacla Duran e outros R$ 26 milhões para empresas de fachada do operador financeiro Adir Assad. Os fatos foram, então, remetidos à força-tarefa de Curitiba em razão de sua ligação com os fatos investigados na Lava-Jato.

Uma das concessionárias usou os serviços de Assad e Tacla Duran para operacionalizar, ocultar e dissimular valores oriundos de atos de corrupção.

Dragon Ball FighterZ: Broly e Bardock recebem imagens e trailers teasers
A True Gamer Revolution deu uma nota 8.5 ao Dragon Ball FighterZ; a análise completa pode ser lida clicando aqui . Aqueles oito segundos em que dizem uma frase enquanto se preparam para o combate.

Dados da quebra de sigilo bancário demonstraram que, entre 2005 e 2015, a concessionária recebeu aproximadamente R$ 2,3 bilhões de tarifas pagas pelos usuários.

A suspeita é a de que tenha havido superfaturamento em obras e outras irregularidades nas estradas do Anel da Integração sob concessão da Econorte.

O GLOBO entrou em contato com o Grupo Triunfo e aguarda o comunicado da empresa.

A investigação apura corrupção, fraude a licitações e lavagem de dinheiro na concessão de rodovias do Paraná.

Dentre os serviços prestados por estes operadores está a viabilização do pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Departamento de Estradas de Rodagem no Paraná (DER) e também à Casa Civil do governo do Paraná.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL