Reunião entre Durão Barroso e Katainen é "não assunto", diz Juncker

Patrice Gainsbourg
Fevereiro 22, 2018

De acordo com o jornal i, o Goldman Sachs emitiu um comunicado no qual garante que Durão Barroso sempre recusou representar o banco junto de responsáveis da União Europeia. Mas o vice-presidente da Comissão Europeia para o Emprego, Crescimento, Investimento e Competitividade, Jyrki Katainen, confirmou a uma ONG que Barroso pediu um encontro em nome do banco de investimento norte-americano e que chegaram mesmo a encontrar-se num hotel de Bruxelas.

"À luz da contratação controversa do ex-presidente Barroso pela Goldman Sachs International e das instruções do presidente Juncker sobre como lidar com lobistas, além de instruções públicas de que o ex-presidente Barroso deveria ser tratado como qualquer outro lobista, estamos formalmente a apresentar uma queixa de má administração", disse o grupo em carta enviada ao secretário-geral da comissão.

"Desde que está connosco [Durão Barroso] sempre se recusou a representar a empresa em quaisquer interações com responsáveis da União Europeia", lê-se no mesmo documento.

O Goldman Sachs garantiu ainda que "quaisquer reuniões desse tipo estão relacionadas com a sua competência pessoal construída ao longo da sua carreira de serviço público". O encontro, denunciado pelo Corporate Europe Observatory, visou discutir "temas na área do comércio e defesa".

Ambiente: António Guterres alerta para "risco de perder" luta das alterações climáticas
Marcelo Rebelo de Sousa referiu-se a Guterres como "a personalidade de longe mais qualificada" da sua geração, e manifestou o seu reconhecimento "em nome de todos os portugueses".

Na sequência da polémica, a Comissão criou um comité de ética ad hoc para investigar o encontro, tendo concluído que Barroso não fez nada de errado.

"Nunca dissemos que o senhor Barroso - que continua a ser meu amigo porque tem méritos na Europa, não é um gangster - não poderia ter reuniões [o original em inglês é meetings que se pode também entender como "encontros"] com comissários e que os comissários não estavam autorizados a ter reuniões com o antigo presidente da Comissão", explicou na manhã desta quarta-feira Jean-Claude Juncker numa conferência de imprensa.

Segundo o ECO, no entanto, Katainen já desmentiu ter sido alvo de lóbi, tendo o comissário dito que, em vez disso, os dois "só beberam uma cerveja".

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL