Mentor do estupro coletivo de Castelo de Piauí será julgado amanhã

Oceane Deschanel
Março 2, 2018

O julgamento pelo Tribunal do Júri terminou durante a madrugada de quarta-feira (28), no Fórum da cidade. As informações são do portal de notícias G1.

O clima em Castelo do Piauí durante a manhã de hoje é de bastante comoção. A rua onde fica localizado o Fórum foi interdidata e veículos ficaram impedidos de circular pela via.

Quatro adolescentes foram condenados pelo crime e três cumprem medida sócio-educativa.

Segundo testemunhas, Adão pediu para conversar com sues defensores pouco antes de entrar no Fórum.

O homem tido como mentor do estupro coletivo de quatro meninas que tinham idade entre 15 e 17 anos, foi condenado a 100 anos e 8 meses em regime fechado.

May rejeita proposta de acordo do Brexit
O porta-voz da premier em Bruxelas diz que ela se compromete com os acordos firmados em dezembro, mas não concorda com o rascunho. A ideia de criar uma fronteira entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte ateou os ânimos no Parlamento de Londres.

O reforço na segurança foi justificado principalmente pela comoção e repercussão que o caso gerou.

De acordo com a decisão do juiz Leonardo Brasileiro, que fez a pronúncia de Adão José para que fosse julgado pelo Tribunal Popular do Júri, ele é acusado de homicídio, porte ilegal de arma de fogo, estupro e corrupção de menores contra três mulheres.

Além de Adão, quatro adolescentes são acusados de participação no estupro coletivo. À época, a população castelense se revoltou e tentou retirar os adolescentes da guarda da polícia e fazer justiça com as próprias mãos. O réu negou envolvimento com o crime. Estarão presentes na sala somente o juiz da Comarca, Leonardo Brasileiro; o promotor Leonardo Trigueiro, representando a acusação do Ministério Público; o réu, Adão José de Sousa; os defensores públicos Dácio Rufino e Leandro Ferraz; as testemunhas de defesa e de acusação e o Conselho de Sentença. A decisão do júri popular não foi unânime, mas a maioria decidiu pela condenação do réu pelos crimes que foi pronunciado. Dessas, apenas sete serão sorteadas para participar do júri e ter direito ao voto.

Os primeiros a se manifestar durante o julgamento serão os peritos da Polícia Civil, que prestarão esclarecimentos acerca das circunstâncias do crime e provas materiais colhidas que apontam a autoria do delito. E, posteriormente, será aberto para o debate entre o membro do Ministério Público e a defesa do réu. Na etapa final, será concedido um tempo para a réplica da acusação e tréplica da defesa e, por fim, será proferida a sentença.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL