Raul Jungmann afirma querer "policiais nas ruas"

Judith Bessette
Março 2, 2018

“Nós sabemos que a segurança pública é um dos primeiros itens de preocupação do nosso povo brasileiro e, por isso, a reunião aqui se deve precisamente a isso: nós queremos revelar não apenas simbolicamente, mas passando ao fenômeno executório, que os estados todos também estão integrados nesta batalha pela segurança pública nas suas localidades”, disse. Temer ressaltou que a União não vai invadir a competência dos estados, mas desenvolver um trabalho conjunto. Nós estamos construindo presídios, em Goiás, por exemplo, inauguramos dois, inauguramos um outro agora e temos mais dois em conclusão.

Em janeiro, o presidente da República, Michel Temer, assinou decreto que determinou a intervenção federal no Rio de Janeiro, transferindo as responsabilidades ligadas à segurança pública e sistema carcerário ao general de Exército Walter Souza Braga Netto. Entre o montante total, R$ 33 bilhões serão pagos pelo BNDES.

O ministro Extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, concedeu, na tarde desta quarta (28), sua primeira entrevista desde que assumiu a Pasta que abrigará, a partir de agora, a Polícia Federal (PF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Departamento Penitenciário Nacional, o Conselho Nacional de Segurança Pública, o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária e a Secretaria Nacional de Segurança Pública, órgão responsável pela Força Nacional. Os valores poderão ser utilizados em todas as áreas da segurança pública, incluindo o reequipamento das polícias nos Estados.

Nem mesmo no caso do Rio de Janeiro, cujo remédio foi a intervenção militar, o ministro não apontou a solução para esse impasse.

Até agora o governo afirma que o orçamento do novo ministério virá de recursos já previstos, ou seja, as verbas dos departamentos já existentes é que vão compor o orçamento do órgão. "Eu não vejo uma situação que demande uma outra intervenção", disse. "E o que foi alinhavado é que existem algumas restrições que precisam ser estudadas e eventualmente superadas, uma delas é em relação aos estados que estão em regime de recuperação fiscal", disse.

Madeira sob aviso amarelo devido à agitação marítima
E, como a chuva, tornar-se-á mais intenso na quarta-feira, com rajadas que poderão atingir os 75 km/ hora no litoral e 85km/h nas pontos mais altos.

Na cerimônia de posse de Jungmann, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, disse que vai dar celeridade à tramitação da MP. Parte dos recursos, segundo Temer, deverá ser destinada aos municípios.

Marconi declarou que, na reunião, o ministro Jungmann estipulou um prazo de cinco anos para disponibilizar R$ 42 bilhões visando investir na área de segurança nos estados.

"Eu pedi ao ministro Jungmann uma audiência para a próxima semana para tratar de temas específicos, Itaquitinga é um deles".

"Estamos devendo e nos devendo um sistema unificado de segurança pública, que até aqui não conseguimos alcançar". "Eu me lembro de uma frase de anos atrás do presidente FHC, que dizia que impeachment é como bomba atômica: você tem, mas não usa", disse.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL