Antigo espião russo em estado grave após contacto com substância desconhecida

Patrice Gainsbourg
Março 6, 2018

Mas em 2010 recebeu um indulto do presidente Medvedev e foi libertado no âmbito de um programa de troca de prisioneiros entre a Rússia e os Estados Unidos: dez russos libertados pelo FBI contra quatro espiões que se encontravam em prisões russas - além de Skripal, mais três agentes, entre os quais Anna Chapman, uma russa que depois de viver em Inglaterra e nos Estados Unidos trabalhava no seu país natal como modelo e apresentadora de televisão.

A mulher de 30 anos que estava com Sergei quando ele caiu inconsciente na cidade de Salisbury é Yulia Skripal, sua filha.

"Estamos a realizar interrogatórios alargados, em conjunto com agências parceiras, para determinar o que levou a que aquelas duas pessoas perdessem os sentidos e para clarificar se houve, ou não, alguma atividade criminal", disse Craig Holden, chefe da polícia local, adiantando que nem o homem nem a mulher apresentavam qualquer ferimento quando foram encontrados num banco do centro comercial.

Os médicos confirmam que ainda não foi detetada a substância que causou a intoxicação de Skripal, de 66 anos, e da sua companheira. Ele foi acusado de ter agido a partir dos anos 1990 como um agente duplo, colaborando com os serviços de espionagem britânicos do MI6.

O incidente traz a recordação do envenenamento de Alexander Litvinenko, um antigo espião russo que morreu em 2006 após ser exposto a uma substância radioativa, em Londres.

Esta terça-feira, o Kremlin declarou a sua disponibilidade para cooperar com o Reino Unido, caso seja solicitada ajuda na investigação do caso do ex-espião russo, que se encontra em estado grave.

Mano Menezes celebra escolha por Raniel e elogia esforço defensivo do Cruzeiro
Sem um atacante titular, o técnico escolheu Raniel para ocupar a vaga, deixando Rafael Sobis no banco de reservas. Por outro lado, o goleiro Fábio retorna após ter sido liberado no meio da semana devido ao falecimento do pai.

Quando questionado sobre a especulação da mídia britânica de que a Rússia teria envenenado Skripal, Peskov respondeu: "Não demorou muito". Quase invariavelmente lê-se que o coronel do Exército foi envenenado, na segunda-feira, quando estava na rua.

Ex-agente russo permanece em estado grave após incidente no sul da Inglaterra, diz polícia¹.

Mais tarde, numa declaração tornada pública, a embaixada da Rússia em Londres queixou-se da cobertura jornalística e disse que o caso do ex-espião hospitalizado em Salisbury estava a ser usado para "diabolizar" a Rússia.

O ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, ameaça com novas sanções se ficar provado o envolvimento da Rússia no alegado envenenamento do antigo espião Sergei Skripal.

O governo russo considerou o incidente "uma situação trágica" e disse que o Kremlin não tinha informações sobre o que aconteceu.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL