Brexit. Acordo comercial proposto pela UE falha exigências do Reino Unido

Patrice Gainsbourg
Março 7, 2018

O Brexit provocaria uma escassez de alimentos sem precedentes se o Reino Unido abandonar a União Europeia sem um acordo, disse o CEO da segunda maior rede de supermercados do país.

De acordo com o documento, a que a Bloomberg teve acesso, e que será divulgado esta quarta-feira pelo presidente da UE, Donald Tusk, Bruxelas irá propor a Londres um acordo comercial semelhante ao já assinado com o Canadá, com o acesso limitado ao mercado único europeu para as empresas financeiras britânicas. A autoridade sustentou a definição de um acordo de livre comércio baseado em cooperação, mas ressaltou que haverá limitações e possíveis danos econômicos ao Reino Unido. Tusk disse que a premier quis "demontrar a qualquer custo que o Brexit poderia ser um sucesso", mas indicou que este não é o principal objetivo da UE.

O documento defende "uma associação com o Reino Unido o mais rápido possível", mas adverte que as posições desse país "limitam a profundidade da futura associação" e que estar fora da união aduaneira e do mercado único "levará inevitavelmente a atritos". Divergências nas tarifas externas e nas regras internas, bem como a ausência de instituições comuns e um sistema legal partilhado, exigem controlos para garantir a integridade do mercado único europeu bem como do mercado britânico. "Infelizmente, isso terá consequências económicas negativas".

May quer que os serviços financeiros sejam incluídos em um acordo de livre comércio, algo que ela acredita ainda ser possível alcançar apesar das acusações de Bruxelas de que sua abordagem equivale a escolher os melhores pedaços da UE.

Novo trailer e poster de Perdidos no Espaço — Netflix
Isolados junto com os Robinsons estão dois estranhos que se vêem unidos pelas circunstâncias e um dom mútuo para trapaças. O novo trailer inclui a primeira prévia do planeta onde a família Robinson se encontra perdida, a primeira olhada no Dr.

A União Europeia negou nesta quarta-feira (7) querer levantar um "muro" com o Reino Unido após a sua saída do bloco, embora tenha alertado, em sua proposta sobre a futura relação comercial com os britânicos, para o impacto negativo inevitável do Brexit.

Tusk, que compareceu junto com o primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel, disse confiar que as diretrizes apresentadas hoje serão adotadas pelos líderes dos membros do bloco (salvo o Reino Unido) na cúpula que acontecerá em 22 e 23 de março.

"Como resultado disso, não nos estamos a empenhar no nosso peso diplomático, como já fizemos no passado", afirmou, citando a situação no Iêmen e noutros conflitos internacionais - onde o Reino Unido tem estado particularmente omisso.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL