Conselheiro sénior de Donald Trump renuncia

Patrice Gainsbourg
Março 7, 2018

"Foi uma grande honra servir ao meu país e promulgar políticas econômicas pró-crescimento para beneficiar a população americana, especialmente, a aprovação da reforma tributária histórica". "Agradeço ao presidente por me dar esta oportunidade e desejo-lhe e a administração um grande sucesso no futuro".

Sabe-se, contudo, que Cohn é contra o plano de Donald Trump para aumentar as tarifas sobre as importações de aço e alumínio.

O afastamento de Cohn é mais um dissabor para a administração do presidente Trump, que tem visto várias figuras do círculo profissional apresentarem a demissão. "Falso!", tuitou o magnata nova-iorquino nesta terça de manhã (6), dias depois do inesperado anúncio da saída da diretora de Comunicação e uma de suas assessoras mais próximas, Hope Hicks.

Flamengo x Botafogo ao vivo: confira as escalação para o clássico carioca
Para chegar até aqui, o Flamengo eliminou o America-RJ na semifinal e o Botafogo passou pelo Vasco . O gol da vitória flamenguista foi marcado pelo zagueiro Rhodolfo, aos 4 minutos de jogo.

Ao jornal "New York Times", Trump admite que Gary foi o seu "principal conselheiro económico e fez um trabalho soberbo em dirigir a nossa agenda, ajudando a aplicar taxas históricas e reformas para fazer arrancar, novamente, a economia Americana". "Ele é um talento raro e eu agradeço seu dedicado serviço em favor do povo americano", declarou Trump em nota.

Cohn, ex-presidente e vice-presidente de operações do banco de investimentos Goldman Sachs, foi um dos vários veteranos de Wall Street escalados por Trump para posições importantes em seu governo após as eleições de 2016.

Uma fonte ligada à Casa Branca disse que Gary Cohn e Wilbur Ross, secretário de Comércio dos EUA e que recomendou a imposição de tarifas ao presidente, discutiram em particular sobre a questão algumas horas antes de ser anunciado.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL