General Braga Netto: "Não existe território em que a polícia não entre"

Patrice Gainsbourg
Março 9, 2018

O interventor federal na segurança do Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto, se reuniu na manhã desta quinta-feira (8) com o juiz federal Marcelo Bretas para definir o fluxo de pedidos de utilização de verbas recuperadas pela Operação Lava Jato.

Embora o general Walter Braga Netto passe a ter todo o controle das ações de segurança pública no estado fluminense, a parte administrativa continua sob o comando do governador do estado, Luiz Fernando Pezão. "Quando ela pede nosso apoio, nós entramos em qualquer lugar do estado". Vamos aguardar. Não ficou nada certo - disse Braga Netto, que não teria tratado de valores com o juiz durante a reunião.

Nomeado pelo presidente Michel Temer como interventor na segurança no Rio de Janeiro, o militar disse ainda que as Forças Armadas darão apoio para que as UPPs possam funcionar dentro das comunidades.

- Esses pedidos já existiam, só que agora eles passam pelo novo secretário de Segurança Pública e pelo interventor - explicou.

Carga de cigarro contrabandeado é apreendida em ação da PRF e Exército
O veículo, carga e condutor foram encaminhados para a Receita Federal para os procedimentos cabíveis. De acordo com a PRF, o produto estava sendo transportado em uma carreta bitrem.

Esses recursos fazem parte de um montante de cerca de R$ 400 milhões recuperados pela força-tarefa da Lava-Jato.

Segundo o porta-voz, as celas decoradas para visitas íntimas no Presídio José Frederico Marques, em Benfica, onde cumprem pena os presos da Lava Jato, foram discutidas pelo interventor com o secretário estadual de Administração Penitenciária, David Anthony. Ele explicou que as prioridades ainda serão definidas, mas que normalmente esses recursos se destinam à compra de equipamentos tecnológicos para investigação e também para a manutenção e aquisição de veículos para as polícias. "Juntamente com o Ministério Público, está sendo feita uma investigação, e os resultados serão apresentados para a opinião pública".

O juiz Marcelo Bretas já fez acordos para destinar recursos recuperados dos esquemas de corrupção para o pagamento de salários atrasados de servidores do estado e para a educação.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL