Criminosos deixam 7 mortos com ataques simultâneos em Fortaleza

Patrice Gainsbourg
Março 10, 2018

Três homens morreram no local: o cabeleireiro José Gilmar Furtado de Oliveira Júnior, de 33 anos, o vendedor ambulante Antônio Igor Moreira e Silva, de 26, e Joaquim Vieira de Lucena Neto, de 21. Já na Vila Demétrio, próximo à sede da TUF e na Rua Joaquim Magalhães, foram "disparos mais aleatórios, sem vítimas precisamente definidas".

Uma página do Facebook que divulga as ações da Polícia Civil do Estado do Ceará relatou um dos casos, em frente a um bar na Praça Gentilândia. Pelo menos três pessoas foram mortas perto de uma das sedes da Torcida Uniformizada de Fortaleza, na Vila Demétrio. Três pessoas morreram no local, segundo a Polícia Militar. De acordo com a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus), foram contabilizados 10 mortos e seis feridos. O jovem não tinha antecedentes criminais.

No shame in losing to Real - Emery
The Brazilian superstar adopted well in Paris and got to business right from the first game that he played for the club. It meant the ex-Manchester United star has scored in every Champions League appearance this season.

Tráfico - O primeiro dos ataques, entretanto, aconteceu na Praça Gentilândia, por volta das 23h30. Ele tinha duas passagens por roubo e uma por associação criminosa.

Vídeos e fotos que circulam nas redes sociais mostram um cenário de guerra na praça da Gentilândia, com corpos ensanguentados em meio a garrafas e copos quebrados, mesas e cadeiras derrubadas durante a correria na hora em que os tiros começaram. Emilson Bandeira de Melo Júnior, de 27 anos, e Adenilton da Silva Ferreira, de 24, chegaram a ser socorridos, mas não resistiram aos ferimentos. Elas participavam de uma festa conhecida como "Forró do Gago", realizada em local próximo à Arena Castelão, e foram atingidas por tiros disparados por homens que invadiram o local. Outras duas vítimas seguem em atendimento no hospital. No final d janeiro um conflito entre facções criminosas resultou em mortes na cadeia pública do município de Itapajé, a 130 km de Fortaleza. No entorno há muitos bares e restaurantes que costumam ser frequentados por estudantes universitários. Inclusive uma delas usava uma pochete, onde foi encontrado dinheiro e drogas: "crack e maconha", disse Costa.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL