Europa espera esclarecimentos sobre tarifas anunciadas pelos Estados Unidos

Patrice Gainsbourg
Março 11, 2018

O representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, deverá se juntar aos dois para conversas mais amplas ainda neste sábado.

"A União Europeia, países maravilhosos que tratam muito mal os Estados Unidos em termos de comércio, está se queixando das tarifas sobre o aço e o alumínio", tuitou Trump. Caso isso não ocorra, a UE ameaçou aplicar tarifas de retaliação em produtos dos EUA.

O presidente americano, Donald Trump, decretou nesta quinta-feira tarifas de 25% e 10% às importações de aço e alumínio, respectivamente.

A UE considera que, dada a "estreita relação de sociedade em segurança e comércio" que tem com os EUA, deveria se beneficiar de uma isenção, disse Cecilia.

"Foi uma discussão franca, mas não obtivemos clareza imediata sobre o procedimento para ficarmos isentos, e as negociações continuarão na próxima semana", anunciou Malmstrom.

O encontro também abordou a cooperação entre os três parceiros para lutar contra o dumping e os problemas envolvendo a sobrecapacidade no setor siderúrgico.

Paula e Jéssica vencem prova do líder após 14 horas de disputa
Acontece que tem um cronômetro marcado o tempo e, às vezes, é tranquilo, outras nem tanto. Do contrário, o tempo acaba antes que o botão seja acionado e a dupla é eliminada.

Embora nem europeus, nem japoneses esperassem uma decisão hoje, quiseram aproveitar para pressionar os americanos.

Com pouco mais de 100 produtos siderúrgicos, desde vários tipos de aço laminado, barras de aço inoxidável até grades, ferramentas e talheres, os europeus esperam recuperar cerca de 853 milhões de euros dos prejuízos causados pelas medidas de Trump.

Katainen mencionou que a UE está "pronta para utilizar, se necessário, medidas de reequilíbrio contra produtos americanos emblemáticos como jeans, motos de grande cilindrada ou manteiga de amendoim". Com as tarifas a estes produtos industriais e têxteis, a UE espera recuperar cerca de 1,025 bilhão de euros.

"Não podemos aceitar que a administração americana divida a UE", advertiu o vice-presidente da Comissão Europeia, Jyrki Katainen, apelando explicitamente aos britânicos, em plenas negociações do Brexit.

A Alemanha, um dos maiores exportadores mundiais e apontada diretamente por Trump, foi especialmente dura, denunciando uma "afronta" aos aliados de Washington.

Em caso contrário, a resposta será rápida.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL