Já me aconteceu ter medo de sair de casa por sentir vergonha...

Rebecca Barbier
Março 13, 2018

O jogador fez 72 partidas, com apenas três gols marcados, todos na temporada 2016/17, e somente quatro assistências.

André Gomes é um dos poucos nomes portugueses que vestiu a camisola do Barcelona. Na Catalunha, porém, nunca conseguiu repetir o futebol que apresentou no Mestalla, sendo um dos maiores alvos dos torcedores em relação às críticas. Nos primeiros seis meses as coisas correram muito bem, mas depois tudo mudou.

"Talvez não seja a palavra certa, mas [a vida] tornou-se num inferno, porque comecei a sentir mais pressão", confessa o centro-campista, que deixou o Benfica para rumar ao Valência, antes de ser contratado pelo Barcelona, por 35 milhões de euros. "Não me sinto bem em campo, não estou a desfrutar". Pela primeira vez, o atleta deu suas declarações sobre essa fase que está passando pelo Camp Nou, e falou sobre a falta de confiança e suas frustações, em entrevista à Revista Panenka. "Vivo bem com a pressão de fora, o problema é a pressão que coloco sobre mim mesmo", disse o médio português à revista 'Panenka'.

Apesar das atuações abaixo da média e das críticas vindas das arquibancadas, o português continua recebendo chances com o treinador Ernesto Valverde. Uma pessoa sabe que está a sofrer. Talvez eu joguei no dia anterior ou dois dias antes e ainda estou com a imagem do jogo, o que não me permite seguir adiante. "Nos treinos sinto-me bem com os meus colegas, mas a sensação que tenho nos jogos é má", explica, antes de dar o relato mais 'pesado' da sua experiência.

Farmácias vão ter testes do VIH e da Hepatite B e C
O Infarmed tem 30 dias para definir e publicar as regras para a operacionalização desta medida. A adesão dos estabelecimentos, por enquanto, é voluntária.

"Já me aconteceu, em mais do que uma ocasião, não querer sair de casa, porque as pessoas podem me olhar de lado". "Não falo com ninguém".

"Eu fecho-me. Não me permito afastar esta frustração que tenho".

"Pensar muito faz-me mal. Penso em coisas más e, depois, no que tenho que fazer, e estou sempre a reboque". É como se eu me sentisse envergonhado. "Apesar de todo o apoio dos meus companheiros, que é muito, as coisas não me estão a sair como queriam que saíssem". "Depois não falo com ninguém". Já tive vontade de não sair de casa em mais de uma vez. "Tenho medo de sair à rua por vergonha", afirma mesmo.

André Gomes disse ainda que os amigos lhe dizem que o problema está na cabeça dele: "dizem-me que vou sempre com a travão na mão. Fico chateado quando alguém me diz que posso fazer muitas coisas boas, mas me pergunto a mim mesmo: 'Por que não as faço?'", afirmou.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL