PSDB cobra R$ 45 mil de candidatos para disputar prévias em SP

Patrice Gainsbourg
Março 14, 2018

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), escalou a equipe que cuida de suas redes sociais para responder a internautas que reagiram negativamente ao anúncio de sua pré-candidatura ao governo do Estado.

Os correligionários escolhem neste domingo (18) o nome que vai disputar o cargo de governador nas eleições.

"Tenho certeza que você seria um excelente governador (esse Estado está precisando muito de gestão), mas não desaponte seus eleitores, você havia dito que ficaria os 4 anos como prefeito de SP. Continue e termine seu mandato, você ganhará mais confiança...", escreveu outro.

"Candidatura majoritária não é vontade pessoal, é coletiva", disse o deputado federal Ricardo Tripoli. Não é algo que você queira ou não queira. "O governador respeita a decisão partidária", afirmou.

Muitas mortes no final de "A Guerra dos Tronos", confirma HBO
Então é melhor você já ir se preparando, porque essa última temporada promete matar mais do que qualquer outra. Game of Thrones retorna em 2019, mas sem uma data definida.

"Não partiu dele, partiu de nós", completou o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB). Além de Dória, estão no páreo o empresário Luiz Felipe d'Avila, o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, e o prefeito de Praia Grande, Alberto Pereira Mourão.

"Essas assinaturas vêm como um apelo para que o prefeito Doria aceite o desafio", argumentou Macris.

Seguindo os passos de seu correligionário José Serra, Doria se comprometeu a não deixar a prefeitura não só no documento que assinou, mas em inúmeras declarações dadas desde que foi eleito. Em dezembro de 2016, antes de assumir o cargo, o atual prefeito anunciou o corte da frota de automóveis municipais, inclusive para secretários, que geraria uma redução de R$ 8 bilhões nos gastos públicos.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL