Líder do PSOL na Paraíba lamenta morte da vereadora Marielle Franco

Eloi Lecerf
Março 15, 2018

Além dela, o motorista do veículo também morreu. Ele também morreu. A assessora Fernanda Chaves foi atingida por estilhaços e levada ferida para o Hospital Souza Aguiar, sem risco de morte. A vereadora estava indo para casa no bairro da Tijuca, zona norte do Rio, voltando de um evento ligado ao movimento negro, na Lapa.

A principal linha de investigação da Divisão de Homicídios, responsável pelas apurações, é de execução. Segundo as primeiras informações da PM, bandidos em um carro emparelharam ao lado do veículo onde estava a vereadora e dispararam.

Os assassinos fugiram sem levar nada.

O Secretário de Estado de Segurança, Richard Nunes, informou por meio de nota que determinou uma investigação ampla e que a acompanha junto com o chefe de Polícia Civil, Rivaldo Barbosa, o andamento do caso. Tratava-se de uma reunião pare discutir o racismo na cidade carioca. "Infelizmente, não foi o que aconteceu", lamentou Alencar à BBC Brasil na manhã desta quinta-feira. Matheus Melo estava saindo da igreja.

Em Alagoas, São Paulo passa fácil pelo CRB
O São Paulo venceu por 3 a 1 o Red Bull no último domingo (11), pela 12ª e última rodada da primeira fase do Paulistão Itaipava. O primeiro gol saiu após boa jogada de Valdívia pela esquerda, que achou Marcos Guilherme desmarcado na entrada da área.

Ainda no Twitter, ela foi além e chamou o 41º Batalhão da Polícia Militar de "Batalhão da morte" [VIDEO], em postagem feita no sábado (10). "Chega de matarem nossos jovens! Por isso, exigimos apuração imediata e rigorosa desse crime hediondo", diz a nota do Psol.

Com a escalada nos índices de violência, o presidente Michel Temer (MDB) decretou a intervenção federal na segurança pública do estado, medida que conta com o apoio do governador Luiz Fernando Pezão, também do MDB. A política foi a quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro nas últimas eleições, quando obteve 46.502 votos. Marielle era entusiasta da indicação da chapa Guilherme Boulos e Sônia Guajajara para disputar a presidência da República. Socióloga formada pela PUC-Rio e mestra em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF), teve dissertação de mestrado com o tema "UPP: a redução da favela a três letras" e coordenou a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). "Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior", escreveu a vereadora nas redes sociais.

O PSOL divulgou a seguinte nota: "O Partido Socialismo e Liberdade vem a público manifestar seu pesar diante do assassinato da vereadora Marielle Franco". Estamos ao lado dos familiares, amigos, assessores e dirigentes partidários do PSOL/RJ nesse momento de dor e indignação.

Mulheres como Marielle Franco vêm ganhando protagonismo neste triste cenário: os assassinatos de mulheres negras cresceram 22%, entre 2005 e 2015, ao mesmo tempo em que a mortalidade de não-negras (brancas, amarelas e indígenas) caiu 7,4%. Disse ainda que sua trajetória orgulhou o partido. É assim que hoje anoitece a cidade desolada e amargurada pela perda de sua filha inesquecível e inigualável.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL