Há 21 casos confirmados — Surto de sarampo

Oceane Deschanel
Março 16, 2018

Há sete casos de sarampo confirmados no Hospital Santo António, confirmou esta quarta-feira a directora-geral da Saúde, Graça Freitas, citada pelo Correio da Manhã.

A Direção-Geral de Saúde confirmou a existência de 21 casos de sarampo no norte de Portugal. De acordo com o comunicado assinado por Graça Freitas, à frente da organização, foram reportados 51 casos suspeitos - na quarta-feira tinham sido reportados 34 -, dos quais 45 são funcionários ao Hospital de Santo António no Porto.

"Foram notificados na região norte dois casos de sarampo, aparentemente não relacionados, confirmados laboratorialmente em adultos não vacinados", refere a Direção-Geral da Saúde, em comunicado enviado à agência Lusa.

Na quarta-feira havia sete casos positivos confirmados, mas mais de 20 ainda estavam em avaliação.

"Estão internados três doentes, um deles em situação clínica instável", adianta a DGS.

A DGS frisa que "a presente situação na Região Norte configura a existência de um surto" e avança que "está em curso a investigação epidemiológica detalhada da situação, que inclui a investigação laboratorial de todos os casos".

Fluminense derruba liminar de Gustavo Scarpa na Justiça
O atleta só ficou livre do clube através de uma ação na justiça, ele alegava falta de pagamento e falta de recolhimento do FGTS. O jogador treinou normalmente nesta quinta-feira na Academia de Futebol e não deu nenhuma declaração sobre o caso.

Para as pessoas que já foram vacinadas, "a doença pode, eventualmente, surgir, mas com um quadro clínico mais ligeiro e menos contagioso".

O sarampo é uma doença grave, para a qual existe vacina.

Em caso de suspeitas da existência da doença, a DGS aconselha a ligar para a linha Saúde 24 (808 24 24 24), principalmente se detetar os "sintomas sugestivos de sarampo (febre, erupção cutânea, conjuntivite, congestão nasal, tosse)".

Segundo o esquema vacinal recomendado no Programa Nacional de Vacinação, a primeira dose de vacina VASPR (sarampo, papeira e rubéola) deve ser tomada aos 12 meses de idade e a segunda aos cinco anos.

O sarampo provocou 35 mortes no ano passado, incluindo uma em Portugal, só num conjunto de 50 países da região europeia, onde se registaram mais de 20 mil casos em 2017. Daí que reforce a importância de todos os outros grupos estarem vacinados de forma a que não apanhem nem transmitam a doença.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL