Feliciano Barreiras Duarte apresentou demissão — PSD

Patrice Gainsbourg
Março 18, 2018

Num comunicado enviado às redações esta tarde, Feliciano Barreiras Duarte anunciou aquilo que há muito já se estava à espera: a sua demissão.

Questionado sobre a polémica em torno do secretário-geral do PSD, Feliciano Barreiras Duarte, o Presidente da República começou por dizer que não se iria pronunciar sobre a vida partidária, recusando dizer se a nova direção do partido presidido por Rui Rio está fragilizada.

O ex-secretário-geral do PSD salienta que, apesar de estar no combate político deste os tempos de estudante, e de entender que este combate "é duro", considerou que "não vale tudo" e que o limite é ter atingido gravemente a sua família. Ontem, o DN noticiava que a direcção do PSD estava descontente com a forma como Barreiras Duarte estava a conduzir este processo e que o presidente do partido, Rui Rio, esperava que o secretário-geral tomasse a iniciativa de se demitir.

"Por isso ficar seria avolumar o problema e não contribuir nada para a solução", refere. Rui Rio aceitou de imediato.

O deputado acrescenta que deixa o cargo de secretário-geral do PSD de "consciência tranquila", reafirmando os argumentos com que se tinha defendido das notícias sobre o seu currículo e, depois, do facto de ter apresentado no parlamento a sua morada fiscal e não de residência. "Todos os movimentos e acções relacionados com esse caso estão devidamente documentados e são inequívocos quanto à minha inocência; fui convidado para 'visiting scholar' (estatuto que não confere qualquer grau académico) e não me fiz convidado; não tirei qualquer proveito da Universidade de Berkely - nem financeiro, nem académico, nem profissional, nem político", afirmou.

Série da Amazon pode custar mais de US$ 500 milhões
Outro exemplo é da série " Game of Thrones ", que deverá custar cerca de US$ 90 milhões para a HBO em sua temporada final. Até agora, as primeiras temporadas de Man in the High Castle e The Grand Tour foram as mais rentáveis.

"1. Primeiro foi a acusação de não ter sido "visiting scholar" e de ter falsificado um documento que o provava; dois dias depois, quem acusou desdisse-se e a acusação, tão inusitada quanto absurda, caiu por terra; o que não impediu que a comunicação social e até alguns correligionários continuassem, até agora, e apesar da acusação ter deixado de existir, a bramar que eu tinha falsificado um documento e, por essa via, adulterado o meu currículo académico".

"Não há, como foi criminosamente sugerido, quaisquer paralelismo com situações de falsas licenciaturas, feitas por equivalências, ou licenciaturas feitas ao domingo", assegura.

Hoje surgiu uma nova polémica, com o Observador a noticiar que Feliciano Barreiras Duarte, durante pelos menos os nove anos em que esteve na Assembleia da República, a morar em Lisboa, recebeu um subsídio de ajudas de custo e despesas de deslocação, como se vivesse no Bombarral, onde moram os seus pais. Terei sido imprudente manter tanto tempo essa referência, sem ter uma renovação formal do estatuto, mas a inscrição é sempre foi verdadeira, a universidade informou-me que estava inscrito.

Barreiras Duarte conclui sublinhando que "não há lugar a arrependimentos: dediquei os melhores anos da minha vida ao PSD e à actividade política e voltaria a fazer o mesmo, pois considero que servir o País é o mais nobre dos deveres".

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL