Produtora de 'The Crown' pede desculpas por pagamentos desiguais

Rebecca Barbier
Março 21, 2018

Os produtores da série de TV "The Crown" se desculparam por pagarem menos para Claire Foy, premiada atriz que interpretou a rainha Elizabeth, do que ao ator Matt Smith, que interpretou o príncipe Philip.

A polêmica começou na semana passada, quando foi divulgado que a intérprete da Rainha Elizabeth (vencedora do Globo de Ouro por sua performance) recebeu um pagamento menor que Smith - que tinha uma nome mais famoso na época, já que foi protagonista de Doctor Who. "Os atores não estão conscientes de quem recebe o que e não podem ser responsabilizados pessoalmente pelo pagamento de seus colegas", disse a nota. Claire e Matt são atores incríveis que, junto com o restante do elenco de The Crown , trabalharam árduamente para trazer vida aos nossos personagens com paixão e integridade.

Poucos dias depois, na rede social Care 2, surgiu uma petição a urgir Reed Hastings, o CEO do Netflix, e o próprio Matt Smith, a doarem a diferença de salário entre a actriz e o actor ao fundo de defesa legal do Time's Up.

O público tomou conhecimento da disparidade salarial em The Crown há uma semana atrás. A resposta foi que sim, mas Suzanne Mackie, directora criativa da Left Bank Pictures, a produtora da série, deu uma garantia: "Doravante, ninguém ganha mais do que a rainha".

Instagram lança recurso para compra de produtos em posts orgânicos
Agora é possível para lojas anunciarem seus produtos e links permitem que o internauta possa finalizar a compra rapidamente. Com a nova ferramenta, os usuários poderão ver mais detalhes de produtos etiquetados nas fotos das lojas que seguem.

Os produtores disseram estar "absolutamente unidos pela causa da igualdade salarial" e por uma "reformulação" do tratamento de mulheres na indústria.

A questão salarial dos atores, no entanto, não é de responsabilidade da Netflix.

Além disso, a Left Bank adiantou também que estava em conversações com o movimento Equal Representation for Actresses (ERA 50:50), um sindicato de actores e actrizes britânicos que lutam pela paridade de género, e que não punha de parte falar com a representação britânica do movimento Time's Up.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL