Trump defende execução de traficantes de drogas

Patrice Gainsbourg
Março 21, 2018

Na tentativa de conter a celeuma, Ty Cobb, advogado da Casa Branca, emitiu um comunicado na noite de domingo dizendo que Trump não está cogitando o afastamento do procurador especial.

O presidente americano Donald Trump anunciou nessa segunda-feira (19) um plano nacional para combater as drogas nos Estados Unidos, para frear sobretudo o consumo de opioides - cujo índices se tornaram uma epidemia no país, com mais de 60 mil mortes por ano.

"Também temos que falar sobre Ucrânia, Síria e Coreia do Norte, então acho que provavelmente verei o presidente Putin num futuro não muito distante", acrescentou Trump, sem dar detalhes de onde ocorreria essa reunião. Uma "injustiça", nas palavras de Trump: "Um traficante de droga mata duas mil, três mil, cinco mil pessoas durante a sua vida" e, por isso, "deve ser condenado como um assassino".

Trump ainda afirmou que a construção do muro entre a fronteira do México e dos Estados Unidos é um modo de evitar a entrada de traficantes de drogas.

PUBG é lançado para smartphones Android e iOS
Uma versão mobile de PlayerUnknown's Battlegroundsque antes era disponível apenas na China , agora também está disponível no Ocidente, e pode ser baixado para dispositivos Android e iOS .

O presidente afirmou que viaja a outros países e pergunta sobre como lidam com o problema das drogas, e as respostas são: "não temos problema de drogas". Esta categoria de entorpecentes abrange remédios analgésicos, vendidos com receita, como o oxycontin e o fentanil, assim como a heroína misturada a substâncias sintéticas. Com este processo, Karen espera pôr fim ao acordo para, deste modo, poder falar publicamente sobre o caso.

Desde aquele tempo e até hoje, toda a ideia de combate às drogas foi sempre baseada na grande publicidade de campanhas moralistas, que tem por objetivo desinformar e criar pânico na população.

No mês passado, um relatório apresentando pela senadora democrata Claire McCaskil, do Missouri, apelava também à necessária responsabilização da indústria farmacêutica pela prescrição excessiva de medicamentos para a dor, que terá provocado o vício de milhões de americanos e a explosão de overdoses fatais, entre as quais as dos músicos Prince e Tom Petty.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL