Pena Lula não terá privilégio em cela, determina Moro

Patrice Gainsbourg
Abril 11, 2018

O ex-presidente está sendo acusado de corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e até de obstrução de Justiça. "Essa é uma questão interna da Polícia Federal, que vai ser organizado brevemente", disse.

Em geral, presos que estão na carceragem da PF em Curitiba podem receber visitas às quarta-feiras.

"Nenhum outro privilégio foi concedido, inclusive sem privilégios quanto a visitações, aplicando-se o regime geral de visitas da carceragem da Polícia Federal, a fim de não inviabilizar o adequado funcionamento da repartição pública, também não se justificando novos privilégios em relação aos demais condenados", afirmou Moro, em despacho do final da tarde de segunda-feira.

A defesa e aliados do ex-presidente esperam que ele não permaneça preso por muito tempo. Por volta das 15h de domingo, os dois retornaram para a primeira visita de advogados.

Lula não informou se tem ouvido os protestos de apoiadores do lado de fora do prédio.

Partido dispensa Kakay de ação sobre prisão em 2ª instância
Caso seja concedida, a liminar deve beneficiar presos condenados em segunda instância da Justiça, incluindo o ex-presidente. Adilson Barroso, presidente do PEN , disse à Agência Brasil que buscará desistir de "tudo que for possível" na ação.

O objetivo é evitar que os parentes do ex-presidente cruzem com familiares de Antonio Palocci, Léo Pinheiro e Renato Duque, seus delatores.

Como o Painel da Folha de S.Paulo informou, os defensores têm feito listas das pessoas que Lula deve receber -o ex-presidente quer incluir a senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo Zanin, Lula está bem sereno, embora indignado com o fato de estar preso. O petista teve direito a uma sala especial porque, enquanto era presidente, foi chefe das Forças Armadas.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL