Presidente chinês promete abertura diante do risco de guerra comercial

Patrice Gainsbourg
Abril 11, 2018

No discurso inaugural do fórum Boao, conhecido como o "Davos asiático", Xi Jinping não mencionou o Presidente norte-americano, Donald Trump, mas mencionou pontos que são chave na crescente tensão com os Estados Unidos em torno do comércio e partilha de tecnologia.

"Não estamos tratando de obter um excedente comercial", garantiu Xi, no momento em que os Estados Unidos acumulam um imenso déficit com a China, que totalizou 375 bilhões de dólares em 2017. Esta terça-feira, Xi Jinping voltou a comprometer o Governo chinês com maior abertura de mercado e proteção de propriedade intelectual para as empresas de capitais estrangeiros que operam nos sectores tecnológicos do país.

"A globalização econômica é uma tendência irreversível no momento", declarou Xi.

Na edição de 2018 do Fórum de Bo'Ao para Ásia, na província de Hainan, na China, ocorrida nesta terça-feira, 10 de abril, palestrantes como Chen Lei, CEO do provedor de rede em nuvem Xunlei, e Li Lihui, chefe do Blockchain Research Working Group da NIFA (Associação Nacional de Finanças da Internet da China), discutiram os últimos desenvolvimentos da blockchain na China, bem como as perspectivas futuras da tecnologia.

Na OMC correm já duas queixas apresentadas por Estados Unidos e China sobre estas matérias.

Lula: Moro tem uma mente doentia
Por incrível que pareça, eu estou muito, mas muito de bem com minha consciência, de bem com minha vida". Lula, no entanto, se disse tranquilo e se mostrou confiante na Justiça.

Após o evento, ele fez promessas de aumentar "significativamente" o acesso aos mercados chineses ainda neste ano, além de prometer suavizar restrições à propriedade estrangeira nos setores de automóveis, industrial e financeiro.

A China apresentou nova queixa contra os Estados Unidos na Organização Mundial do Comércio (OMC), desta vez contra as tarifas impostas pelo Comércio americano a produtos de aço e alumínio, em vigor desde o passado dia 23.

Elon Musk, presidente da fabricante de carros elétricos Tesla, pediu a ajuda de Trump para resolver a questão ao citar os problemas que sua empresa enfrenta para produzir na China.

O presidente chinês também prometeu medidas específicas para proteger a propriedade intelectual.

Lançada em 2015 pelo Banco Popular da China, e aprovada pelo Conselho Estatal, a NIFA é uma entidade auto regulatória cujo objetivo é assegurar o desenvolvimento salubre da tecnologia financeira do país.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL