'Bolsonaro alinha-se ao regime da escravidão', acusa Raquel Dodge

Patrice Gainsbourg
Abril 14, 2018

Um dos filhos de Jair, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), foi denunciado, em outro processo, por ameaçar uma jornalista. Diante do exposto, solicitou a condenação por danos morais coletivos no valor indenizatório mínimo de R$ 400.000,00. A pena prevista -de um a seis meses de detenção- pode ser convertida em medidas alternativas, desde que sejam preenchidos os requisitos legais.

No caso de Jair Bolsonaro, as imputações foram feitas por causa de uma palestra ministrada por ele no Clube Hebraica do Rio de Janeiro, em abril do ano passado.

Raquel Dodge classificou a conduta dele como "severamente reprovável" e disse que ele atingiu "atingiu valores e princípios fundamentais da República Federativa do Brasil". Para Dodge, o discurso transcende o desrespeito aos direitos constitucionais dos grupos diretamente atingidos e viola as garantias de toda a sociedade. A procuradora-geral da República comentou que na oportunidade ele fez um paralelo da formação de sua família para "destilar preconceito contra as mulheres".

Ao dizer que teve uma filha mulher e quatro homens, se referiu à situação como um "fraquejo". Em seguida, Bolsonaro disparou contra os índios, impondo-lhes a culpa pela não construção de três hidrelétricas em Roraima e criticando as demarcações de terras indígenas.

Fátima e Túlio trocam declarações no Dia do Beijo
De acordo com as fontes do colunista, a ex-mulher de William Bonner deve faturar um valor entre R$ 3,5 milhões a R$ 5 milhões. Fátima Bernardes e o namorado, o advogado Túlio Gadêlha , usaram as redes sociais para celebrar o Dia do Beijo.

Segundo Dodge, o ataque a variados grupos sociais continuou mirando os quilombolas. Segundo o parlamentar, essas comunidades tradicionais "não fazem nada" e "nem para procriador eles servem mais". Para Raquel Dodge, ele demonstrou preconceito contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs. A denúncia reúne ainda outros discursos do presidenciável contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros. Segundo Dodge, o parlamentar enviou várias mensagens à jornalista Patrícia de Oliveira Souza Lélis dizendo que iria acabar com a vida dela e que ela iria se arrepender de ter nascido.

"O parlamentar escreveu ainda diversas palavras de baixo calão com o intuito de macular a imagem da companheira de partido: 'otária', 'abusada', 'vai para o inferno', 'puta' e 'vagabunda'", afirma a Procuradoria. "Jair Bolsonaro ainda consignou, em comparação, que os japoneses são um povo trabalhador, que não pede esmola".

No entanto, a PGR ofereceu a Eduardo proposta de transação penal, na qual ele se comprometeria a indenizar a vítima em 40 salários mínimos e a pagar pensão mensal a uma entidade de combate à violência doméstica, além de prestar serviços à comunidade. O ministro Luiz Roberto Barroso será o responsável pelos autos na Corte.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL