Londres pede reunião do Conselho de Segurança da ONU — Skripal

Patrice Gainsbourg
Abril 14, 2018

Mais de 40 pessoas morreram e centenas ficaram feridas. Segundo relatos, o ataque provocou na população sintomas de asfixia, pulsações cardíacas lentas e queimaduras na córnea, enquanto alguns afetados espumavam pela boca.

O secretário de Defesa, James Mattis, afirmou que foi um "ataque único", por enquanto, porque a meta é fazer com que o presidente da Síria, Bashar Al Assad, deixe de usar armas químicas - ação negada pelo governo sírio.

Outro projeto apresentado pela Rússia também foi vetado.

Governo do Equador confirma assassinato de jornalistas na Colômbi
O governo do Equador também ofereceu uma recompensa de US$ 100 mil por informações que levem à prisão de Vernaza no país ou na Colômbia .

"É apropriado que o Conselho de Segurança se reúna quando a paz e a segurança internacionais estiverem sob ameaça". Uma resolução precisa ter nove votos a favor e nenhum veto de Rússia, China, França, Reino Unido ou Estados Unidos para passar.

- O Conselho de Segurança da ONU realizará neste sábado uma reunião com o objetivo de analisar a situação na Síria após a ação militar de EUA, Reino Unido e França. Os russos desmentiram de imediato que tivesse havido um ataque químico. A área de atrocidades está bloqueada e cercada pelo exército sírio, por isso é completamente inacessível para o mundo exterior. Depois, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, negou ser intenção de Trump reagir aos ataques de forma bélica e intensiva na Síria.

Na noite anterior, a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Heather Nauert, pediu à Rússia que pare de apoiar o governo sírio e colabore com a comunidade internacional para buscar uma saída para o conflito. Segundo o porta-voz de António Guterres, apesar das Nações Unidas não estarem em posição de confirmar tais alegações, o secretário-geral lembra que "qualquer uso de armas químicas é repugnante e requer uma investigação completa". "A Rússia não deve tentar obstruir mais uma vez estas investigações", declarou Johnson em comunicado.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL