Síria. EUA "prontos a disparar"

Patrice Gainsbourg
Abril 15, 2018

Os EUA, a França e o Reino Unido realizaram hoje de madrugada uma série de ataques com mísseis contra três alvos associados à produção e armazenamento de armas químicas na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade rebelde de Douma, em Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco.

Falando sobre o Kremlin, o alto funcionário da administração dos EUA acrescentou que os Estados Unidos querem ter um compromisso com a Rússia que leve a uma maior paz e estabilidade no mundo.

- Apoiamos o fato de que nossos aliados americanos, britânicos e franceses tomaram responsabilidade desta forma como membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - disse Merkel, que havia descartado a participação da Alemanha em qualquer ação militar contra a Síria antes dos ataques. E esse falhanço deve-se sobretudo à obstrução da Rússia. Os outros são a Rússia, Reino Unido, França e a China.

"Estamos confiantes de que enfraquecemos o programa de armas químicas da Síria".

Marega e Corona em dúvida a dois dias do clássico
Os dragões voltam a treinar no sábado, às 11h00, à porta fechada. Marega e Corona continuam em dúvida para o jogo decisivo.

A reunião de emergência de hoje, a quinta deste órgão de decisão máximo das Nações Unidas num período de uma semana, foi pedida pela Rússia, aliado tradicional do regime sírio liderado por Bashar al-Assad, horas depois da realização dos ataques.

O Secretário Geral da ONU, Antonio Guterres, fez o apelo para que não aumente a tensão.

No Reino Unido, a primeira-ministra da Escócia Nicola Sturgeon disse que ataques aéreos não resolvem a situação na Síria e que a política externa britânica deve ser definida pelo parlamento, não pelo presidente dos EUA.

- Tal ação pode ter consequências perigosas, ameaçando a segurança e a estabilidade da região e dando ao terrorismo outra oportunidade de expansão depois que ele foi expulso do Iraque e forçado a entrar na Síria para recuar em grande medida - disse. Segundo a agência de notícias IRNA, Khamenei falou numa reunião com autoridades iranianas e embaixadores de países islâmicos.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL