Pentágono diz que ataque à Síria foi "preciso e eficiente"

Patrice Gainsbourg
Abril 16, 2018

Apesar de ter danificado severamente a infraestrutura de armas químicas com os ataques, McKenzie disse que o Pentágono não descarta que o governo Assad possa usar tais armas de novo. No sábado, o regime tomou o controle total de Douma.

De acordo com Trump, "a ação veio em resposta ao uso contínuo e ilegal de armas químicas pelo governo sírio, inclusivo no terrível ataque em Douma em 7 de abril". Com suporte dos aliados Rússia e do Irã, as forças armadas sírias devem voltar sua atenção ao restante do território detido pela oposição, nomeadamente no sul do país e na província de Idlib. A agência estatal síria Sana informou que o regime responde ao ataque aéreo com disparos de seus sistemas antiaéreos.

"Esta foi uma ação limitada e direcionada a atingir a capacidade de construir ou de difundir armas químicas. O que é preciso agora é evitar uma escalada de violência, mas o que a Síria fez [ataque com armas químicas] não podia ficar sem resposta", afirmou Rui Rio, em declarações aos jornalistas à margem da sessão de encerramento do 25.º Congresso da JSD, que decorreu na Póvoa de Varzim, distrito do Porto.

Homem é atacado por tubarão em praia do Grande Recife
Segundo o Corpo de Bombeiros , por volta das 14h38min, equipes foram acionadas para socorrer a vítima. Ainda não se sabe se ele irá passar por amputações.

"A Rússia vetou seis vezes [no Conselho de Segurança da ONU] a condenação às ações de Assad", acusou o Departamento de Estado norte-americano, denunciando ainda as autoridades russas de não terem cumprido com a promessa em "serem o garante da remoção das armas químicas na Síria".

Donald Trump defendeu, neste domingo (15), em sua conta no Twitter, o uso da expressão "missão cumprida" para se referir aos ataques à Síria de sábado. Ele disse que acredita que aqueles armazéns, principalmente em áreas rurais, não sofreram grandes danos e que o programa foi apenas parcialmente desmontado porque Damasco não permitiu inspeções. McKenzie afirmou que 105 armas foram lançadas e acrescentou que até o momento não há conhecimento de que os ataques resultaram em qualquer vítima civil.

Peritos da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) tinham previsto iniciar hoje uma investigação sobre o alegado ataque com armas químicas.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL