Polícia Federal realiza operação em Cajamar contra fraude no INSS

Judith Bessette
Abril 26, 2018

A Operação Pseuda, deflagrada na manhã desta terça-feira (24) pela Polícia Federal, mira um grupo de criminosos que fraudava perícias médicas do INSS. A ação conta com o apoio e participação da inteligência previdenciária, Advocacia-Geral da União, Ministério Público Federal e INSS. Cerca de 300 policiais federais tentam cumprir 9 mandados de prisão e 51 de busca e apreensão.

A primeira ação, denominada Sepulcro Caiado*, cumpre 32 mandados de busca e apreensão nos municípios de Cabo Frio, Araruama, Rio de Janeiro, Duque de Caxias, São João de Meriti, Paracambi, Sepetiba, Niterói e São Gonçalo; e três mandados de prisão preventiva. Mais de 80 benefícios são suspeitos.

Através de investigação, a PF constatou que a organização criminosa era chefiada por uma auxiliar de enfermagem, dedicada a praticar fraudes contra o INSS, em especial, nos benefícios de auxílio-doença. Outros dois servidores do INSS, um deles já demitido por corrupção, também participavam das fraudes. Estão sendo cumpridos seis mandados de prisão preventiva e 19 mandados de Busca e Apreensão nos municípios do Rio de Janeiro (capital), Nilópolis, Mesquita e Nova Iguaçu.

'Velozes e furiosos' vai virar série de animação na Netflix, diz revista
A série animada de Velozes e Furiosos estreará na Netflix em 2019, mesmo ano do nono filme da franquia cinematográfica. Vin Diesel , produtor de Velozes e Furiosos , será produtor executivo da série junto com Chris Morgan e Neal Moritz.

Na segunda operação, chamada Anjos, a Polícia Federal (PF) investiga uma quadrilha especializada em fraudar pensões, que atuava desde 2015. Estima-se que o grupo, integrado por advogados, falsificadores e empresários, tenha desviado R$ 12 milhões da Previdência. Os mandados foram expedidos pela 6º Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

As duas operações são deflagradas em conjunto em razão do compartilhamento de provas entre elas. Como há indícios de que o grupo agia há mais de dez anos, estima-se que os prejuízos superem os 60 milhões de reais.

Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL