PF vai atrás de doleiros que movimentaram R$ 6 bilhões

Oceane Deschanel
Mai 3, 2018

O principal alvo é Dário Messer, apontado como o principal doleiro do país.

Agentes da PF cumprem 43 mandados de prisão preventiva no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, além de Paraguai e Uruguai. A operação conta com o apoio de autoridades uruguaias e visa a desarticular esquema de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa. Nele, doleiros remetiam dinheiro ao exterior por meio de uma ação chamada "dólar-cabo" - método que não passa pelas instituições financeiras reguladas pelo Banco Central. A Operação "Câmbio, Desligo" tem como base a delação do doleiro Vinícius Vieira Barreto Claret, o Juca Bala, e de Cláudio Fernando Barbosa, o Tony. Assim, as empresas eram usadas para ocultar os verdadeiros donos dos recursos e conseguiam por esse meio monitorar o dinheiro. Um dos mandados é contra o doleiro Dário Messer, que tem residência tanto no Rio de Janeiro quanto no Paraguai.

Em nota divulgada à imprensa, a PF afirma que os mandados judiciais foram solicitados pelo Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro e autorizados pela 7ª Vara Federal Criminal fluminense. Ao todo, foi movimentadi US$ 1,6 bilhão, ou sejam cerca de R$ 5,6 bilhões.

Delegado afirma: "Tiros contra caravana de Lula foram um ataque planejado"
Os tiros, ainda segundo o laudo, foram disparados ligeiramente de cima para baixo e acertaram a lateral direita do ônibus. O delegado disse, contudo, que ainda não é possível afirmar o local exato dos disparos e também a motivação do crimnoso.

Os dois 'doleiros' trabalhavam para a organização criminosa chefiada pelo ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, que já este preso.

De acordo com as investigações, o grupo usava softwares que uniam doleiros do mundo todo, o que o Ministério Público Federal chama de instituição financeira clandestina.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL