Petróleo cai após saída dos EUA de acordo com Irã

Patrice Gainsbourg
Mai 10, 2018

O aumento do preço foi impulsionado pela saída dos Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã e pela queda das reservas americanas. Esta segunda-feira foi a primeira vez desde novembro de 2014 que o petróleo dos EUA ultrapassou os 70 dólares por barril.

O barril de "light sweet crude" (WTI) para entrega em junho perdeu US$ 1,67, a US$ 69,06, no New York Mercantile Exchange (Nymex).

Em discurso na Casa Branca, o presidente americano, Donald Trump, anunciou a retirada dos EUA do acordo nuclear com Teerã e determinou a reinstauração das medidas punitivas contra a economia iraniana que haviam sido suspensas com a entrada em vigor do pacto, em 2015.

"O presidente Trump está claramente articulando que ele tem um desejo mínimo em um acordo alternativo com o Irã", disse Ehsan Khoman, chefe de pesquisa para o Oriente Médio e Norte da África do Mitsubishi UFJ Financial Group.

Diego Souza marca e classifica São Paulo, mas sai machucado
Os argentinos também tiveram boa chance com Hernán da Campo, que arriscou chute de fora da área. O adversário da equipe de Diego Aguirre só será conhecido após o sorteio das chaves.

A nota à imprensa faz referência a um documento sem força de lei no qual esse departamento explica que, após o período de transição de 180 dias que se encerra em 4 de novembro, vai reinstaurar sanções contra "transações relacionadas ao petróleo" com as estatais iranianas desse setor, incluindo "a compra de petróleo, produtos derivados de petróleo ou produtos petroquímicos do Irã".

O Irão tinha-se convertido no terceiro maior exportador de petróleo da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) depois da comunidade ocidental levantar as sanções económicas em 2016, como parte do acordo para dissuadir aquele país do Médio Oriente de desenvolver um programa de armas nucleares.

Os analistas agora esperam que o fornecimento do Irã caia entre 200 mil bpd e 1 milhão bpd, dependendo de quantos outros países concordarem com Washington.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL