MP notifica Globo sobre falta de representação racial em novela

Oceane Deschanel
Mai 14, 2018

A Rede Globo de Televisão foi notificada pelo o Ministério Público do Trabalho do Rio de Janeiro (MPT/RJ) recomendando à emissora que implemente na novela Segundo Sol (das 21h) uma maior diversidade, como por exemplo, incluindo personagens negros.

A adequação deverá ser feita em até 10 dias.

A trama, que ainda nem estreou, tem sido alvo de críticas nas redes por contar com uma minoria de atores negros, sendo que a novela se passa em Salvador, cidade cuja 85% da população é negra. O principal conflito da trama consiste no fato de que o protagonista, Emílio Dantas, é convencido a não dizer a verdade sobre o que aconteceu e assumir uma nova identidade em uma localidade distante do litoral baiano, onde formará um par romântico - e branco - com a personagem de Giovana Antonelli. O Estatuto da Igualdade Racial, recomenda ao Poder Público a promoção de ações que assegurem a igualdade de oportunidades no mercado de trabalho para a população negra, inclusive mediante a implementação de medidas visando à promoção da igualdade nas contratações do setor público e o incentivo à adoção de medidas similares nas empresas e organizações privadas.

De acordo com o portal Metrópoles, que noticiou originalmente a ação, o MPT afirmou que "o não espelhamento da sociedade nos programas televisivos gera a perpetuação da exclusão e reafirma estereótipos de limitação de espaços a serem ocupados pela população negra". "Apesar de ser uma obra artística e uma obra aberta, consideramos que ela tem como obrigação incluir atores negros em proporção suficiente para uma real representação da sociedade".

Mãe policial reage a assalto na porta de escola e mata bandido
Em um vídeo que circula nas redes sociais, o suspeito aparece se aproximando de um grupo de mães e crianças apontando um revólver. A ocorrência foi em frente ao Colégio Ferreira Master, unidade particular, que fica no bairro Cidade Cruzeiro do Sul, em Suzano .

Caso a Rede Globo descumpra os pedidos, a empresa será convocada para prestar esclarecimentos e, eventualmente, firmar termo de compromisso de ajustamento de conduta, ou propor ação judicial cabível.

Em novembro de 2017, a Globo se viu num escândalo de racismo protagonizado pelo jornalista William Waack disse "é preto, coisa de preto" sobre buzinaço durante um ao vivo nas eleições dos EUA.

O MPT fez 14 recomendações gerais à emissora.

A notificação, de teor recomendatório, aponta 14 exigências que devem ser cumpridas pela Rede Globo nos próximos dias.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL