Número de mortos por protestos em Gaza chega a 60

Patrice Gainsbourg
Mai 16, 2018

Um manifestante palestino morreu nesta terça-feira (15) durante novos confrontos contra o Exército de Israel no dia da "Nakba", no leste do campo de refugiados de Al-Bureij, na região central de Gaza, informou o Ministério da Saúde local, citado pela agência "Maan".

O tom da imprensa israelense e norte-americana é semelhante: a ação é definida como "tragédia na Faixa de Gaza e festa em Israel".

Colville continuou apontando que as regras para o uso da força sob o direito internacional eram constantemente ignoradas. "Ressaltamos, novamente, que a força letal só pode ser usada como uma medida do último - não primeiro - recurso, e somente quando há uma ameaça imediata à vida ou ferimentos graves", insiste o Alto Comissariado da ONU.

"Deve proteger as suas fronteiras de infiltrações e terrorismo, mas deve fazê-lo de forma proporcionada e investigar, de forma independente e transparente, cada incidente que tenha levado à perda de vidas", disse.

Monagas-VEN x Grêmio - Tricolor pode avançar nesta terça
GRÊMIO - Marcelo Grohe; Madson, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Jailson, Ramiro, Cícero e Alisson; Thonny Anderson. O volante Arthur e o atacante Everton tiveram confirmadas lesão muscular e devem desfalcar a equipe por três semanas.

Um dia depois dos confrontos mais sangrentos em Gaza desde 2014, que fizeram já 60 mortos e quase 3000 feridos, os palestinianos cumpriram esta terça-feira um dia de greve geral e de dor em Gaza e na Cisjordânia para chorar as vítimas.

Ao menos dois palestinos foram mortos ao participar de um ato próxima da fronteira com Israel, de acordo com autoridades de saúde da faixa de Gaza.

Trata-se do dia em que os palestinos lamentam a criação do Estado de Israel em 1948, quando centenas de milhares de palestinos fugiram ou foram expulsos de seus lares em episódios de violência que culminaram em uma guerra entre o recém-criado Estado judeu e seus vizinhos árabes naquele mesmo ano. Segundo o mais recente balanço do Ministério da Saúde de Gaza, morreram já 60 pessoas durante os protestos contra a transferência da embaixada dos EUA de Telavive para Jerusalém.

Os protestos inserem-se no movimento de contestação designado "marcha de retorno", iniciado a 30 de março, e ocorreram no mesmo dia em que foi inaugurada a embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL