Putin inaugura ponte na Crimeia; Ucrânia protesta

Patrice Gainsbourg
Mai 17, 2018

O Presidente russo, Vladimir Putin, inaugurou esta terça-feira a ponte que liga a Rússia à península da Crimeia, anexada pela Rússia à Ucrânia em 2014, com as autoridades de Kiev a acusarem-no de "desrespeito" ao direito internacional.

Segundo as imagens da televisão russa, que transmitiu a cerimónia em direto, ao volante de um camião pesado cor-de-laranja, Vladimir Putin atravessou, às buzinadelas, os 19 quilómetros da nova "Ponte da Crimeia", que liga a península de Taman, no sul da Rússia, à homónima ucraniana de Kertch. Atrás do camião conduzido por Putin, viatura utilizada nos trabalhos de construção da ponte, e acompanhado por vários trabalhadores, seguiu cerca de uma dezena de outros camiões e automóveis ligados às obras, às autoridades e à segurança da Rússia.

"A construção da ponte busca uma maior integração forçada da península anexada ilegalmente à Rússia e seu isolamento da Ucrânia, da qual continua fazendo parte", ressaltou o porta-voz, reiterando a posição da União Europeia (UE) de não reconhecer a Crimeia como território russo. "A Rússia vai pagar bem caro", ameaçou ainda.

A ponte, que inclui quatro pistas para veículos - duas em cada direção -, será aberta para o público amanhã, e duas vias de trem - uma em cada direção - que deve começar a operar no final de 2019.

"Ela vai contribuir para desenvolver a economia da Crimeia e de Sebastopol [principal cidade da península]", acrescentou Putin.

PF diz que caixa 2 financiou reforma do sítio de Atibaia
Ainda segunda a defesa, o laudo "fez descabidas referências a recursos provenientes de contratos da Petrobras". No caso, o ex-presidente Lula é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, reafirmou que a "Crimeia é parte da Ucrânia". Mas o governo da Ucrânia, soberano da Crimeia até a invasão russa de 2014, protestou.

A Ponte da Crimeia que une Rússia a sua península da Crimeia finalmente aparece no Google Maps com dois dias de atraso.

Construída a um custo equivalente a US$ 3,6 bilhões, a construção será a mais extensa de uso duplo - rodoviário e ferroviário - da Europa.

A maioria dos eleitores da Crimeia apoiaram a denominada "reunificação" com a Rússia em um referendo considerado ilegal por Kiev e por boa parte da comunidade internacional.

A ponte, sublinhou, limita "a passagem dos navios pelo estreito de Kertch até aos portos ucranianos no Mar de Azov". "As forças de ocupação da Rússia, que ocupam temporariamente a Crimeia, continuam a agir fora das leis internacionais", afirmou.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL